Pesquisas em andamento CEPID/FAPESP

A evolução das atividades de pesquisa durante os últimos onze anos permitiu simultaneamente melhorar nossas propostas originais e manter nosso compromisso com a produção de resultados inovadores. A renovação temática e as novidades na agenda científica refletem o crescimento do CEM como um Cepid (Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão) já na sua quarta de parceria com a Fapesp, e também, desde o final de 2008, um dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia ligados ao CNPq/MCT.

O principal objetivo do atual projeto científico do CEM é investigar o complexo tema do papel do Estado na redução da pobreza e na redução da desigualdade. Será desenvolvido em colaboração com colegas estrangeiros e envolve várias estratégias de comparação internacional.

O objetivo de pesquisa das linhas da quarta fase de parceria com a Fapesp, e MCT/CNPq, compreende quatro grandes dimensões:

1. Medir desigualdades passadas e presentes relacionadas a raça, migração, mercado de trabalho, renda, condições urbanas, educação, gênero e comportamento político. A situação atual e a sua evolução ao longo dos últimos 50 anos será o primeiro passo do projeto. Quanto o Brasil mudou nos últimos 50 anos? É o título provisório do livro que será resultado de análise comparativa dos dados do Censos de 1960, 1970, 1980, 1990, 2001 e 2010.

2. Entender os efeitos independentes das políticas de estado nas condições sociais na redução da desigualdade. Três áreas temáticas merecem atenção especial diante do papel-chave a elas concedido na análise comparativa de políticas públicas: educação, saúde e mercado de trabalho. Nesta dimensão, as políticas públicas são tomadas como fatores independentes, capazes de afetar as condições de vida dos cidadãos bem como a redução da desigualdade e da pobreza.

3. Entender o papel das instituições políticas nas decisões sobre políticas redistributivas, particularmente o comportamento eleitoral e o processo de elaboração das leis. Esta dimensão analisa as políticas públicas como uma variável dependente, cuja origem pode ser observada e explicada pelo sistema político e estratégias dos atores.

4. Mapear formas alternativas de governança em áreas urbanas e em suas conexões com o Estado de forma a entender “quem faz o quê?. Esta linha de pesquisa busca analisar padrões de governança que não sejam necessariamente controlados pelo Estado e por suas agências. Busca entender duas descrições aparentemente contraditórias da governançano Brasil: de um lado, como um caso em que a implementação de políticas é controlada tanto pelos interesses privado ou patrimonial; de outro, como um caso notável de experiências florescentes de ativismo cívico. Tomadas de forma isolada, nenhuma delas descreve completamente os padrões de governança urbana. Além disso, as evidências mostram que, em qualquer caso, as ligações com o Estado e suas agências são a chave para entender a governança.