“A antropologia é um procedimento de certa forma terrorista. Antropólogos muitas vezes redigem suas pesquisas sem sequer relê-las às pessoas com quem havia falado. O cinema é o veículo que permite realizar a etnografia, esta antropologia partilhada... É esse o milagre do cinema, partilhar com muitos as mesmas emoções”. As palavras de Jean Rouch, o antropólogo-cineasta que vislumbrou o cinema como meio de compartilhar a antropologia, inspiram nossa prática de pesquisa e realização audiovisual e a construção deste espaço.
Antropologia compartilhada, o blog, é uma realização coletiva – iniciada por um grupo de pesquisadores que têm como interlocutores os realizadores de cinema e arte das quebradas. Uma ocupação na rede, construída a partir de relações que temos tecido nos últimos anos, com gente que pensa o cinema como meio de transformação, intervenção, provocação.

Edições Toró

Filed Under (Divulgações, Publicações) by admin on 27-03-2009

Tagged Under :

Reencaminhamos aqui um convite feito pela Edições Toró, que tem divulgado trabalhos feitos na/da/sobre a periferia, para que todos confiram seus últimos lançamentos e produções, que incluem vídeos, entrevistas, pesquisas, programas de rádio, recitais…

_________________________________________________________

SalvÊ!

-Edições Toró pede licença e convida pra chegar nos puxadinhos mais recentes do nosso sítio. O www.edicoestoro.net

-Além de um tecão do nosso último livro lançado em janeiro, o “Lágrima Terra” de Daniel Fagundes e André Pereira, e além das varandas dos vídeos, dos programas de rádio-literatura e dos pedações dos nossos outros 15 livros, agora tu já pode tomar um café nas salas dos Recitais, das Entrevistas e das Pesquisas.

A intenção é dar corda à nossa instiga radiofônica, que já vem de longe. Ao dendê da voz, ao fascínio da palavra. E chamar pra conferir se esse oba-oba em nome de Periferia-Periferia-Periferia, que às vezes
quer nos enforcar pra manter a almofada quente do ibope, tem mesmo fundamento e perspectiva, anunciação e não só anúncio. Espeto ou espetáculo?

No nosso sítio tu pode num clique ouvir direto os programas ou pode ainda continuar baixando livremente pra escutar no teu mp3/pendrive. No escadão, na janela do busão, no banheiro, na firma, na lavação de louça.

Ou levar pras escolas (Como? Que hora? Com quem?). Taí o convite, sincero e necessário, pra controlar a velocidade febril do mouse e detalhar a audição, brisar na leitura com calma e estudar com a gente, pra descobrirmos juntos as diferenças entre informação e conhecimento, as diferenças entre largura e fundura. Então, por este mês:

***

RECITAIS

A singela malandragem, a revolta e a pimenteira dos versos de Akins Kinte, mais o brio, a coberta e as surpresas da Poesia de Elizandra Souza. Com suas vozes, sotaques, ênfase, reticências e exclamações. Com poemas do livro PUNGA e mais inéditos.

***

PESQUISAS

Trazemos as NOSSAS pesquisas na quilombagem da universidade pública, de um povo que não se finca na ilha ou no gabinete pra matutar a experiência e atiçar a ciência:

-A dissertação de mestrado de Mei Hua, que vem da Vila Cruz das Almas, fundos da zona norte, com o trabalho de pesquisa e prática “A Literatura Periférica na Escola”, apresentado na Faculdade de Educação da USP, em janeiro de 2009.

-O trabalho de mestrado de Érica Peçanha do Nascimento, quilombela do Jaraguá, que apresentou em 2006 na pós-graduação da Ciências Sociais da USP a dissertação “ Literatura Marginal: Os escritores da periferia
entram em cena”

-E o trabalho de mestrado de Allan da Rosa, pesquisa e prática a ser defendida agora em 02 de abril na Faculdade de Educação da USP, intitulada “Imaginário, Corpo e caneta: Matriz Afro-brasileira em

Educação de Jovens e Adultos”.

***

ENTREVISTAS

Movimento Hip Hop e Cinema são os dois temas deste março, cada um com três entrevistados. Cada conversa tem mais ou menos 60 minutos. É a mesma leva de um capítulo de novela ou de um meio tempo de futebol com seu intervalo de propagandas dos bancos e melhores lances do 0 a 0. A mesma carrada de juntar o SP TV e o Jornal Hoje com seus edicídios e agrados aos anunciantes.

Os entrevistados são Gaspar (Záfrica Brasil), Tiely Queen (HipHopMulher), Mateus Subverso  (Posse Suatitude – Edições Toró), Rogério Pixote (Cine Becos e Vielas, diretor de “Dois meses e 23 minutos”, “Laroiê” e “Tá me ouvivendo bem?”), Daniel Fagundes (Integrante do NCA, Núcleo de Comunicação Alternativa, co-diretor de “Videolência”, diretor de “Cosmolho” e “Sonho de Várzea”) e Luiz Barata ( Educador em Cinema e Vídeo, trabalha atualmente na entidade Ação Educativa) É isso aí. Pode sintonizar ou saquear e encher a bolsa digital.

__

AXÉ!!!

Edições Toró - Morro do Mineiro, Taboão da Serra, Hemisfério Zona Sul

www.edicoestoro.net

9ª Conferência Internacional do Documentário

Filed Under (Eventos e Mostras) by admin on 13-03-2009

De 1 a 3 de abril | SESC Avenida Paulista

A 9ª Conferência Internacional do Documentário integra o “É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários” com quatro mesas compostas por realizadores e teóricos especializados no gênero. Em 2009, o tema a ser discutido é “O Documentário Engajado” e aborda diferentes aspectos das questões sociais e políticas no cinema documental.

PROGRAMAÇÃO

Dia 1/04, quarta, 10h.
Mesa 1 - Panorama Histórico do documentário político e social
Tomando como ponto de partida os primeiros documentários social e politicamente engajados e atravessando as inúmeras vertentes em que se desenvolveu o cinema político, esta primeira mesa abordará questões sociais e políticas do cinema documental, oferecendo fundamentação histórica e conceitual para os temas que serão apresentados ao longo da Conferência.

Participantes:
Ana Amado, crítica de cinema e professora da Faculdade de Filosofia e Letras - Universidad de Buenos Aires, autora de inúmeros artigos sobre documentário, como El Documental Político como Herramienta de Historia, em Políticas de la Memoria - Anuario de Investigación del CeDInCI, Documental y Peronismo em Significação 27 - Revista de Cultura Audiovisual, da ECA-USP, e Michael Moore e Nós em O Cinema do Real, organizado por Amir Labaki e Maria Dora Mourão. Publicou Lazos de família. Cuerpos, herencias, ficciones e La imagen justa. Cine argentino y política, 1983-2007.

Michael Renov, professor e Diretor Associado de Assuntos Acadêmicos da Escola de Artes Cinematográficas - University of Southern California e um dos fundadores do Visible Evidence, conferência itinerante dedicada ao cinema documentário. Publicou, entre outros, The Subject of Documentary, Hollywood’s Wartime Woman: Representation and Ideology e, como organizador, Theorizing Documentary.

Mediador:
Eduardo Morettin, professor de História do Audiovisual do Departamento de Cinema, Rádio e TV da ECA-USP, organizador do livro História, Cinema e Televisão. É conselheiro da Cinemateca Brasileira, do Museu de Arte Contemporânea da USP e da SOCINE – Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual. É também membro da diretoria da Associação Nacional de História e vice-diretor do CINUSP “Paulo Emilio” – Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo.
Dia 2/4, quinta, às 10h.
Mesa 2 - Denúncia e intervenção: questões sociais no documentário contemporâneo
Questões sociais sempre estiveram presentes no rol de assuntos privilegiados do cinema documental, particularmente no Brasil. Ainda hoje, o documentário preserva seu caráter de ferramenta de denúncia e intervenção sobre a situação de minorias e dos excluídos sociais. Como isso se conjuga com a também notável expansão da subjetividade no documentário recente? Contando com a colaboração de dois cineastas brasileiros e um argentino que operam em seus filmes uma síntese de suas visões pessoais sobre problemas sociais prementes, esta mesa se propõe a colocar em questão os procedimentos de que se valem os documentaristas na abordagem de questões sociais.

Participantes:
Patricio Coll, professor, roteirista e cineasta argentino, dirigiu, entre outros, o curta Hachero Nomás e o drama Cicatrices. Juntamente com Jorge Goldenberg, dirigiu o documentário Regreso a Fortín Olmos. É diretor do Curso de Licenciatura em Desenho da Comunicação Visual – Universidad Nacional del Litoral, Santa Fé, Argentina.
Toni Venturi, cineasta brasileiro, graduado em cinema pela University of Ryerson, Canadá.  Seus trabalhos incluem os longas-metragens de ficção Cabra-Cega e Latitude Zero, os documentários para TV No Olho Do Furacão e Paulo Freire Contemporâneo, alem  dos documentários de longa-metragem O Velho – A História de Luís Carlos Prestes, Dia de Festa, e Rita Cadillac – A Lady do Povo.
Evaldo Mocarzel, jornalista e cineasta brasileiro, foi editor do Caderno 2 do jornal O Estado de São Paulo e atualmente é professor de Documentarismo e Fundamentos da Direção na Escola Superior Sul Americana de Cinema e Televisão do Paraná (CINETVPR). Dirigiu, entre outros, os documentários de longa-metragem À Margem da Imagem, À Margem do Concreto, Do Luto a Luta, além de Mensageiras da Luz – Parteiras da Amazônia e Jardim Ângela.
Mediador:
Ismail Xavier, professor do Departamento de Cinema, Rádio e TV da ECA-USP.  É autor de diversos livros sobre cinema, dentre eles: Alegorias do Subdesenvolvimento – Cinema Novo, Tropicalismo, Cinema Marginal, O Cinema Brasileiro Moderno, O Olhar e a Cena, O Desafio do Cinema: A Política do Estado e a Política dos Autores e O Discurso Cinematográfico. Foi professor visitante na New York University, na University of Iowa e na Université Paris III - Sorbonne Nouvelle.

Dia 2/4, quinta, às 14h30.
Mesa 3 - Documentaristas militantes: o cineasta enquanto ser político
Nos últimos anos, como um reflexo dos atentados de 11 de setembro e da conseqüente Guerra ao Terror empreendida por George W. Bush, bem como do recrudescimento do conflito palestino-israelense, o cinema documentário experimentou um notável ressurgimento de seu viés politicamente engajado. Nesta mesa, estará em debate este cinema que toma partido, que defende causas, que busca atuar politicamente, pautando-se por um questionamento da função céptica do cinema e o papel do artista enquanto ser político.

Participantes:
Michael Chanan, documentarista inglês, é professor de Cinema & Vídeo na Roehampton University, em Londres, e de Cultural Studies na University of the West of England, Bristol. Professor Visitante da Duke University, em North Carolina, Estados Unidos e da Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños, Cuba. Publicou, dentre outros, Cuban Cinema, The Politics of Documentary, The Cuban Image: Cinema and Cultural Politics e From Handel to Hendrix: The Composer in the Public Sphere. Em 2005, co-dirigiu com George Steinmetz o documentário Detroit: Ruin of a City.
Renato Tapajós, jornalista, escritor e cineasta, autor de obras como A Infância Acabou, Em Câmara Lenta, Queda Livre e Carapintada, que apresentam ao leitor infanto-juvenil questões sociais e temas da política nacional. Dirigiu, entre outros, os curtas e médias-metragens Vila da Barca, A Luta do Povo, Universidade em Crise e Em Nome da Segurança Nacional, além do longa Linha de Montagem, documentário recentemente relançado nos cinemas brasileiros.
Orlando Senna, professor, jornalista, roteirista e diretor de teatro e de cinema. Foi diretor da Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños, Cuba.  Foi Secretário do Audiovisual no Ministério da Cultura e Diretor Geral da nova TV Brasil. Dirigiu documentários como Imagem da Terra e do Povo e Lenda Africana na Bahia. Foi o roteirista e co-diretor do filme Iracema, uma Transa Amazônica.
Peter Wintonick, crítico, produtor, diretor e editor de documentários para cinema, vídeo e novas mídias. Seus trabalhos incluem Seeing is Believing: Handicams, Human Rights and the News, co-dirigido com Katerina Cizek, Cinéma Vérité: Defining the Moment e Manufacturing Consent: Noam Chomsky and the Media, co-dirigido com Mark Achbar, um dos mais bem-sucedidos e premiados documentários canadenses de todos os tempos. Contribui com revistas de cinema e presta consultoria a festivais e institutos de cinema ao redor do mundo e é um dos fundadores do DocAgora, um evento que se faz presente em diversos festivais de cinema apresentando estratégias digitais inovadoras.

Mediador:

Marcius Freire, professor do Departamento de Cinema do Instituto de Arte da UNICAMP, doutorado pela Université Paris X - Nanterre e pós-doutorado pela New York University. Autor de inúmeros artigos sobre cinema documentário.
Dia 3/4, sexta, às 10h.
Mesa 4 - Com a palavra, o realizador: um diálogo com Avi Mograbi
Nascido em Israel em 1956, o cineasta israelense Avi Mograbi é diretor de uma obra marcadamente autobiográfica e critica ao militarismo. Como uma espécie de Michael Moore despido do maniqueísmo e da falta de sutileza, Mograbi combina em seus filmes humor, política e testemunhos pessoais, produzindo um tipo de documentário que é performático e militante em iguais proporções. Nesta mesa, o público terá a oportunidade de entrar em contato com a obra e as idéias deste realizador profundamente original, por meio de um debate centrado em suas experiências pessoais e na maneira como ele as transpõe para a tela em seus documentários experimentais. Uma mostra com destaques de sua filmografia será apresentada no CINUSP ‘Paulo Emílio’ e na Cinemateca Brasileira durante o período de realização da Conferência.

Convidado:
Avi Mograbi, principal documentarista israelense em atividade, dirigiu, entre outros, Averange but one of my twoo eyes, August: a moment before the eruption (prêmio de Melhor Filme da Competição Internacional no Festival É Tudo Verdade de 2002), Happy Birthday Mr. Mograbi e How I Learned to Overcome My Fear and Love Arik Sharon. Seu longa mais recente, Z32, integra a programação deste ano do Festival.

Mediadora:
Maria Dora Mourão
, professora do Departamento de Cinema, Rádio e TV da ECA-USP e Vice-Diretora da ECA-USP. É Diretora do CINUSP “Paulo Emílio” – Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP e Presidente da Sociedade Amigos da Cinemateca. É também Vice-Presidente do Centre International de Liaison des Écoles de Cinéma et Télévision - CILECT. Organizou, junto com Amir Labaki, o livro O Cinema do Real e coordena a Conferência Internacional do Documentário.

Inscrições: http://www.sescsp.org.br/sesc/conferencias_new/subindex.cfm?Referencia=5985&ParamEnd=1

Local: av. Paulista, 119 - Paraíso - São Paulo - SP

Quintas Substanciais

Filed Under (Eventos e Mostras) by admin on 10-03-2009

O Selo Substancial em parceria com o Instituto Voz, apresentam as produções áudios-visuais dos núcleos de ação independente, realizadas ao longo de 5 anos na construção de redes artísticas e colaborativas. Os encontros quinzenais acontecem às quintas feiras no Bar e Espaço Cultural Santo Remédio.

Agenda:

12/03

MC Thiago ZeroOnze + Vídeo-Projeções na Elis

26/03

Pepo MC + Vídeo-Projeções na Elis

DJs Residentes

EmTranseGente & Pablom (Família 2PRA1 e Substancial)

Realização:

Da Quebrada pra Estrada | Graffiti com Pipoca | Harmônicas Batalhas | Interconexões Humanas | Substancial

Apoio:

Instituto Voz | Santo Remédio | Dirthy Pigs Produções

Informações:

rededaquebradapraestrada.wordpress.com | rededaquebra@gmail.com | www.myspace.com/daquebradapraestrada

Santo Remédio – Bar Cultural

Rua Pereira do Lago, 70, - Vila Gomes/Butantã

(Em frente a Praça Elis Regina)

Tel: 35366445