Heros

o condor voa alto, por isso voa sózinho (adaptado de Píndaro)

Condor Andino - Chivay (Perú)
Image from Cruz del Cóndor-Chivay
Francisco Murari Pires

 Professor Titular do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

e-mail: murari@usp.br

 

Porque vocês não sabem

Do lixo ocidental

Não precisam mais temer

Não precisam da solidão

Todo dia é dia de viver

Porque você não verá

Meu lado ocidental

Não precisa medo não

Não precisa da timidez

Todo dia é dia de viver

Eu sou da América do Sul

Eu sei, vocês não vão saber

Mas agora eu sou “cowboy”

Sou do ouro, eu sou vocês

Sou o mundo, sou Minas Gerais

(Para Lennon & McCartney, Lô Borges, Márcio Borges, Fernando Brant, Milton Nascimento)

 

 

Formação e Atividade Acadêmica

Engenharia Eletrônica, Escola Politécnica da USP, 1967-1971.

Bacharelado em História, FFLCH-USP, 1972-1976.

Mestrado em Engenharia Eletrônica (Teoria das Comunicações) pela Escola Politécnica-USP, 1972-1976. Dissertação de Mestrado: Observações a respeito da aplicação do conceito matemático de Informação ao Código Lingüístico,  orientador: Prof. Dr. Normonds Alens, defesa em 10 de março de1976.

Mestrado em História Econômica, FFLCH-USP, 1977-1979. Dissertação de Mestrado: A Constituição de Atenas: uma leitura, orientador: Prof. Dr. Paulo Pereira de Castro, defesa em 20 de junho de 1979.

Doutorado em História Econômica, FFLCH-USP, 1980-1983. Tese de Doutorado: Percepções da Atenas Ancestral, orientador: Prof. Dr Paulo Pereira de Castro, defesa em 2 de dezembro de 1983.

Bolsista da FAPESP junto ao Depto. de Engenharia Eletrônica da Escola Politécnica da USP, 1972.

Engenheiro Pesquisador junto ao Departamento de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da USP, 1973-1976.

Bolsista da FAPESP junto ao Depto. de História da FFLCH – USP, 1977-1980.

Professor Assistente junto ao Depto. de História da FFLCH – USP, 1980-1983.

Professor Auxiliar de Ensino junto ao Depto. de Ciências Sociais da PUC – SP, 1o semestre de 1980.

Professor Assistente Doutor junto ao Depto. de História da FFLCH – USP, 1984-1995.

Professor Associado do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humans da Universidade de São Paulo, 1995-2006.

Professeur invité, École d’ Hautes Études de Sciences Sociales (EHESS), Paris, 5 de novembro de 2001 a 5 de dezembro de 2002, integrado aos seminários dos cursos de pós-graduação de François Hartog e de Claude Calame.

Professor Titular do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humans da Universidade de São Paulo, 2006-2012.

Bolsa de Produtividade em Pesquisa 1D, CNPq 1988-2011.

 

Livros

MURARI PIRES, Francisco. O Fardo e o Fio. Livro em preparação. 2012-

MURARI PIRES, Francisco. A Clio Tucidideana entre Maquiavel e Hobbes. (O(s) Olhar(es) da História e as Figurações do Historiador). "Au Salon des Refusés 2". 2012.

MURARI PIRES, Francisco, SALLES OLIVEIRA, Cecília Helena, PEIXOTO, Fernanda e ZERON, Carlos Alberto de Moura Ribeiro. Antigos, modernos e selvagens : diálogos diálogos franco-brasileiros de História e Antropologia. Revista de História, edição especial, primeiro semesre de 2010.

MURARI PIRES, Francisco (org.). Antigos e Modernos: diálogos sobre a (escrita da) História, Francisco Murari Pires (org.), São Paulo, Fapesp Alameda-Capes, 2009.

MURARI PIRES, Francisco. Modernidades Tucidideanas I. No Tempo dos Humanistas (de Bruni a Alberti), São Paulo, Edusp-Fapesp, 2007.

MURARI PIRES, Francisco. Mithistoria - São Paulo, Humanitas-Fapesp, 1999

MURARI PIRES, Francisco. Aristóteles - A Constituição de Atenas. Tradução e notas por F. M. Pires, São Paulo, Hucitec, 1995.

 

Artigos, Capítulos de Livros, Ensaios

A Peste de Atenas, mithistória em miniatura: o daímon e a heroicidade do historiador. Letras Clássicas, 2012 (no prelo).

Mithistória do Debate Persa (Heródoto, III.80-82). História da Historiografia, 2012 (no prelo).

Ranke e Nieburh: a apoteose tucidideana . Revista de História, 166, p. 71-108, jan./jun. 2012.

Jean Bodin, o Methodus e a Clio tucidideana: as figurações heroicizantes do historiador. Varia Historia, 2012.

Tucídides e Maquiavel: diálogos sobre a (in)utilidade e a (des)valia da História. (Tramas e dramas do político: linguagens, formas, jogos, Jacy Seixas, Josianne Cerasoli & Márcia Naxara (orgs.), Uberlândia, Edufu. 2012.

Indagações sobre um Método acima de qualquer Suspeita. primeiro semestre de 2012.

Antigos e Modernos, O Fardo e o Fio. Revista de História - edição especial (2010), 09-18.

Maquiavel e Tucídides: O(s) olhar(es) da História e as figurações de historiador. Revista de História - edição especial (2010), p. 51-67 > Maquiavel historiador

La popelinière et la Clio Thucydideénne : quelques propositions pour (re)penser un dialogue entre l’idée d’histoire accomplie et le ktèma es aei. In Ombres de Thucydide, Valérie Fromentin, Sophie Gotteland & Pascal Payen (orgs.), Bordeaux, Diffusion De Boccard, p. 665-677, 2010 > La Popelinière

La Popelinière (Idée d’histoire accomplie) e Tucídides (ktema es aei) entre Pandora e as Musas: a (miragem da) heroicidade e a (im)perfeição da história. Textos de História (Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UnB), vol, 17, 2010 > La Popelinière

Machiavel et Thucydide : le(s) regard(s) de l’histoire et les figurations de l’historien. In  Action politique et histoire : Le narrateur homme d’action,  sous la direction de Marie-Rose Guelfucci, CEA, 47 (2010) p. 271-289 271-289 > Machiavel et Thucydide

Maquiavel, a Corte dos Antigos e (o diálogo com) Tucídides. In Antigos e Modernos: diálogos sobre a (escrita da) História, Francisco Murari Pires (org.), São Paulo, Fapesp Alameda-CNPq, 2009, p. 201-230 > Tucídides e Maquiavel

 O General Marshall em Princeton, Tucídides na Guerra Fria, história da historiografia • número 02 • março • 2009, p. 101-115 > O General Marshall e Tucídides

 Leonardo Bruni e Tucídides: história e retórica. Politéia (Vitória da Conquista), v. 6.1, p. 57-84, 2007.

Tucídides e o (re)acerto do fato da tirania de Hípias: alcance, e limites, dos indiciamentos investigativos de descoberta da verdade. Phaos número 6 (Campinas), 2007.

Thucydidean Modernities: History between Science and Art in Brill's Companion to Thucydides, coordinated by Antonios Rengakos e Antonis Tsakmakis, Leiden-Boston, Brill, 2006, p. 811 – 837 > Thucydidean Modernities

Apologies to Thucydides: Hume, Hobbes & Cia. Anos 90, Porto Alegre, v. 13, n. 23/24, p.153-175, jan./dez. 2006 > Apologies to Thucydides

Prologue historiographique et proème épique: les principes de la narration en Grèce ancienne, Quaderni di Storia, Itália, 2003, p. 73 – 94 > Prologue Historiographique

Thucydide et l'assemblée sur Pylos (IV.26-28): rhétorique de la méthode, figure de l'autorité et détours de la mémoire, The Ancient History Bulletin, Canadá, 2003, p. 127 – 148 > Rhétorique de la méthode

O Porto de Pilos e a baía de Navarino, Tucídides e o coronel Leake: akríbeia antiga mais crítica moderna e as temporalidades da história tucidideana, Phaos, Brasil, 2003, p. 95 – 114 > Tucídides e o coronel Leake

Ktema es aei: a prolixidade do silêncio tucidideano. Anos 90, Brasil, 2003, p. 87 – 109 > Ktema es aei

Mito e Tragédia em Tucídides: a leitura de Francis M. Cornford. Letras Clássicas 6, São Paulo, Humanitas, junho 2002, p. 135-144 > Mito e Tragédia em Tucídides

A Morte do Herói(co). IN Rosenfield, Kathrin H., Filosofia e Literatura: o trágico. Filosofia e Política, III.1, Rio de Janeiro, Zahar, 2001: 102-114.A Morte do Herói(co), Filosofia Política, Brasil, 2001, p. 102 – 114.

Tucídides: a Retórica do Método, a Figura de Autoridade e os Desvios da Memória. IN  Bresciani, Stella e Naxara, Márcia (orgs), Memória e (Res)sentimento. Campinas, Editora da Unicamp, 2001: 95-128

Édipo e (o enigma d)a Visão das Idades. Organon 13 n 27 (O Mundo Clássico), 1999: 57-70 > O mundo clássico: Grécia, Roma e Índia >  Oedipe et (l' énigme de la) Vision des Âges

The Rhetoric of Method (Thucydides I.22 and 2.35), The Ancient History Bulletin, 12, 1998, p. 106 – 112 > The Ancient History Bulletin 12 (1998): 106-112.

A Retórica do Método (Tucídides I.22 e II.35). Revista de História 138 (1998), 9-16 > Retórica do Método

Ájax, Atena e os (Des)Caminhos da Métis. Classica, 7/8 (1995): 195-209 > Ájax, Atena e os (Des)caminhos da Métis

A Vigia do Acontecer e a História do Acontecimento. Revista Brasileira de História, 15 (1995): 29-46

A Razão da Democracia e a Astúcia da Demagogia. IN Cardoso, Z. A - Mito, Religião e Sociedade, São Paulo, 1991, p. 433-440

Mito e Historiografia Clássica. IN Schüller, D. e Goettems, M.B., Mito, Ontem e Hoje, Porto Alegre, 1990, p. 217-224.

História e Poesia. Revista de História, 121 (1989): 27-44.

Memória Histórica e Dominação Social IN Felix, L.O e Goettems, M.B., Cultura Grega Classica, Porto Alegre, 1989, p. 44-53.

Para bom entendedor meias palavras não bastam. Revista de História, 116 (1984): 199-216.

 

Resenhas

F. Hartog: O Espelho de Heródoto, Revista de História, São Paulo, v. 138, 1998, p. 9-16.

F. Hartog: O Espelho de Heródoto, Jornal de Resenhas, Folha de São Paulo, 11 de setembro de 1999: 4.

C.F. Cardoso: O Egito Antigo, Revista de História, 114 (1983): 173-177.

J.H. Rodrigues: Filosofia e História, O Estado de São Paulo, Cultura, II, 60, 2 de agosto de 1981: 11.

I. Lakatos e A. Musgrave (orgs.): A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento, Ciência e Cultura, 2 (1980): 157-162.

W.K.C. Guthrie: Les Sophistes. Revista de História, 112 (1977): 600-603.

M.I. Finley: Les Premiers Temps de la Grèce. Revista de História 108 (1976): 592-593.

 

Heros