f a p s - r e s u m o

O pathos e a sensibilização do sujeito: emoção e afetividade
por Lineide Salvador Mosca

No estado atual dos estudos retóricos e semióticos, cabe fazer um reexame do lugar reservado à emoção e à afetividade, relegadas muitas vezes a papéis secundários. Investiga-se cada vez mais a função que desempenham na produção da significação e nos processos interativos. Partindo dos conceitos de base da Retórica, em sua trilogia clássica, constituída pelo logos, ethos e pathos pode-se compreender como, na realidade, são inseparáveis. No que toca à argumentação, o fator emocional está na base da captação da simpatia, do fortalecimento do ethos e tem ainda uma função interacional importante, ao criar um ambiente propício ao êxito da argumentação, de que é prova a captatio benevolentiae.

Os estudos da Semiótica sobre o sensível levaram a uma valorização do componente emocional como portador de significação. A complementaridade do semiótico e do retórico se faz necessária para se entender a aesthesis. A razoabilidade, proposta pela Nova Retórica, constitui uma forma de terceira via, e está na base do que resulta em comunidade argumentativa e afetiva. Essas e outras considerações estão na base das preocupações atuais sobre o assunto.

 

Lineide Salvador Mosca é professora doutora do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da USP, tendo feito o seu Pós-Doutorado na França, junto à Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS) e à Sorbonne Nouvelle Paris III, na condição de bolsista FAPESP. Seu diretor de estudos, na ocasião, foi o Prof. Dr. Denis Bertrand. Os projetos de pesquisa que coordena centram-se nos estudos de Retórica e Argumentação, dentro de um quadro da Análise do Discurso e sob a perspectiva da Semiótica Discursiva, tendo como referência o Groupe Intersémiotique de Paris.

Desenvolve trabalhos de pesquisa com o Groupe m , de Liège/Bélgica, o Centre de l'Argumentation, de Bruxelles, o GRIC (Groupe de Recherches des Interactions Communicatives), da Université Lumière Lyon II e com o Grupo da Pragma-dialectics, de Amsterdã (Discourse and Argumentation Studies).

É organizadora das obras Retóricas de Ontem e de Hoje (3 a ed. 2004) e Discurso, Argumentação e Produção de Sentido (2006). Em obra coletiva internacional em homenagem a Chaïm Perelman publicou o ensaio “A teoria perelmaniana e a questão da afetividade”, assunto sobre o qual tem se voltado nos últimos anos. Traduziu Sistema da Moda , de Roland Barthes, entre outros trabalhos. Preside a Comissão de Publicações do CITRAT (Centro Interdepartamental de Tradução e Terminologia), desde 2003, tendo neste período editado quatro números da revista TradTerm.

 

Sexta-feira, 27 de abril de 2007
Das 12h30 às 14h00
Prédio de Letras USP, Sala 270