FAPS 17.09.2010

Operadores materiais do sentido

por Marco Toledo de Assis Bastos (ECA-USP)

Otrabalho a ser apresentado se divide em duas partes. Na primeira parte serão expostas algumas escolas e teorias que delineiam um conceito de sentido que varia de uma acepção proposicional até um entendimento cibernético, especialmente na lógica, na linguagem, na fenomenologia e na teoria dos sistemas. Essas teorias oferecem um entendimento não raro antagônico em relação ao conceito de sentido, razão pela qual não há propriamente um operador nem um procedimento de pesquisa integrado para se trabalhar com a questão do sentido. Na segunda parte será exposto um operador para o conceito de sentido, que relaciona as funções da linguagem e da comunicação, de um ponto de vista teórico, e da historicidade e fenomenologia, de um ponto de vista metodológico. Essa segunda parte constitui em si mesma um programa de pesquisa que dialoga com os postulados teóricos da materialidade da comunicação, de Hans Ulrich Gumbrecht, e da notação histórica dos media, de Friedrich Kittler.

A relação entre linguagem e informação estaria sujeita à notação histórica dos media, que constitui em si mesma um operador para o sentido. O conceito sugere as imagens de anotação, inscrição e registro e faz referência ao modo como os media perfazem determinado registro cultural. Com isso, o operador do sentido não incluiria o conteúdo veiculado, mas as formas do medium que moldam os conteúdos e que implicam sempre em um horizonte de possibilidades para o sentido. Esse operador do conceito permite que se vislumbre todo um programa de pesquisa para as áreas da linguagem, da comunicação e da teoria dos grafos, uma vez que relaciona a acepção semiótica do conceito com a manifestação informacional e os suportes materiais dos media. Esse programa de pesquisa também permite que se estabeleçam conexões entre formas proposicionais do sentido e a emergência da informação nos media, resultado da uma relação sincrônica e material entre media e textos culturais.

Marco Toledo de Assis Bastos é doutor e mestre em ciências da comunicação pela Universidade de São Paulo. É pesquisador do Núcleo de Estudos Filosóficos da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da USP, da Rede de Pesquisadores em Antropologia Medial da Universidade Johann Wolfgang Goethe–Frankfurt am Main e colaborador do Grupo Latino Americano de Pesquisa em Sentido, Comunicação e Sociedade da Universidade Autônoma do México. Publicou capítulos de livros e artigos em periódicos e journals abordando temas da linguagem, da cibernética, do sentido e da comunicação digital.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 17 de setembro de 2010.
Das 13h00 às 14h30.
Prédio de Letras USP, sala 260.