International FAPS 19.03.2010

Novas perspectivas da teoria semiótica

por Eric Landowski (CNRS, Sciences Po, Paris / CPS, PUC-SP)

Urge promover uma visão não dogmática e uma prática viva da semiótica "greimasiana". Desde finais da década de 1960 cristalizou-se a imagem de uma disciplina orientada para a construção de uma metalinguagem perfeita e de uma teoria tão abstrata que ela acaba se desprendendo da vida. Cremos ser possível demonstrar que pode ser diferente. Como a Lua, a semiótica também tem uma outra face. É esta que propomos explorar e dar a conhecer.

Referências bibliográficas

A. J. Greimas et J. Courtés, Sémiotique, Dictionnaire raisonné de la théorie du langage, Paris, Hachette, 1979.

A. J. Greimas, De l’Imperfection, Périgueux, Fanlac, 1987.

E. Landowski, Passions sans nom, Paris, PUF, 2004.

E. Landowski, Les interactions risquées, Limoges, PULIM, 2005.

E. Landowski, Avoir prise, donner prise. Nouveaux Actes Sémiotiques, 2009.

E. Landowski, La politique spectacle revisitée. Versus, 107-108, 2010.

Eric Landowski (CNRS Sciences Po, Paris) é diretor da revista Nouveaux Actes Sémiotiques, e foi o criador, com Ana Claudia de Oliveira, do Centro de Pesquisas Sociossemióticas da PUC-São Paulo. Propõe uma abordagem sensível e viva no âmbito da semiótica, dedicando-se à sua aplicação na análise da experiência cotidiana e das práticas da comunicação social e política contemporânea. Publicou em português A Sociedade refletida (São Paulo-Campinas, Educ-Pontes, 1992), Presenças do Outro (São Paulo, Perspectiva, 2003), e, com A. J. Greimas, uma Introdução à análise do discurso em ciências sociais (São Paulo, Global Editora, 1986); com A. C. de Oliveira, Do inteligível ao sensível (São Paulo, Educ, 1995); com J. L. Fiorin, O gosto da gente, o gosto das coisas (São Paulo, Educ, 1997), com R. Dorra, Semiótica, estesis, estética (Puebla-São Paulo, UAP-Educ, 1999), além de numerosos ártigos em revistas como Acta Semiotica et Linguistica, Comunicação Midiática, Face, Galáxia.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 19 de março de 2010.
Das 11h30 às 13h00.
Prédio de Letras USP, sala 271.