FAPS 28.05.2010

Cultura em campo semiótico

por Irene Machado (ECA-USP)

O objetivo primordial da palestra é apresentar as linhas de força do pensamento semiótico sobre a cultura que permitiram o florescimento, em solo eslavo, de uma disciplina teórica sobre os sistemas de signos. Consideram-se desde as pesquisas remotas sobre a Umwelt e o dialogismo, que ajudaram a fomentar as idéias sobre a importância das interações em contextos ambientais, até os desdobramentos sobre a ecologia semiótica a partir da semiosfera.

Para isso, propõe-se um alinhamento conceitual que parte do conceito de texto da cultura para compreender a modelização das linguagens como princípio heurístico dos sistemas semióticos em sua tarefa de transformar a informação em texto. Dedica-se especial atenção ao conceito semiótico de código cultural.

Apreende-se, assim, a configuração de relações que definem o confronto entre natureza e cultura não apenas no contexto das relações ecológicas, como também no movimento transformador das distintas semioses.

Irene Machado é professora da Escola de Comunicações e Artes da USP e Pesquisadora CNPq (Produtividade em Pesquisa).
Autora, dentre outros, dos livros: O filme que Saussure não viu: o pensamento semiótico de Roman Jakobson (2008); Semiótica da cultura e semiosfera (2007); Escola de semiótica (2003). Orienta projetos de pesquisa na área de Semiótica da Cultura com ênfase nos processos de comunicação.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 28 de maio de 2010.
Das 11h30 às 13h00.
Prédio de Letras USP, sala 260.