FAPS 30.03.2012

Semântica internalista e a formação de conceitos

por Marcello Modesto (DL-FFLCH-USP)

Este trabalho discute a possibilidade de uma teoria da significação dentro de uma perspectiva epistemológica internalista. Partindo, principalmente, de autores como N. Chomsky, J. Fodor e H. Putnam, os conceitos de "referência", "realidade" e "conceito" serão debatidos. Como a noção de referência linguística ao mundo real não parece se sustentar, a semântica internalista terá necessariamente de lidar com a questão de o que são os conceitos aos quais as expressões linguísticas se referem e como esses conceitos são formados. Apesar de não aceitarmos a hipótese inatista defendida pelos dois primeiros autores citados acima (basicamente a de que todos os conceitos são inatos), defenderemos a tese de que o processo (ou algoritmo) que "gera" conceitos é parte do funcionamento natural (portanto, inato) do cérebro humano. Esse processo pode ser descrito, pelo menos parcialmente, com resultados animadores, pelas estruturas e percursos propostos pela teoria semiótica greimasiana.

Marcello Modesto é doutor em sintaxe gerativa pela University of Southern California (USC) e pós-doutor pela University of California, Los Angeles (UCLA). Professor do Departamento de Linguística da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), trabalha sob a perspectiva Biolinguística inaugurada por Noam Chomsky atualmente representada pelo Programa Minimalista de sintaxe.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 30 de março de 2012.
Das 14h00 às 15h30. Sala 260 do
Prédio de Letras USP.

A palestra é aberta a todos os interessados. Não é necessário inscrever-se previamente.