FAPS 25.05.2012

Interfaces entre fantasia e ciência - Um estudo semiótico do filme “2001: Uma odisseia no espaço” como modelo de interpretação em perspectiva educacional

por Luis Piassi (EACH-USP)

NNessa conferência, apresentamos aspectos do desenvolvimento de instrumentos teóricos para a análise de produtos de mídia, de forma geral, com ênfase em filmes de ficção científica, tendo em vista as possibilidades de uso didático de tais produções em contexto escolar, voltado para o ensino de ciências. Iniciamos expondo as antecedentes da linha de pesquisa e discutimos as relações entre a ficção e a educação científica, trazendo pontos de vista sobre a importância da interpretação do produto de mídia em relação a sua aplicabilidade didática. A partir disso, situamos a escolha do filme “2001: Uma odisseia no espaço”, dirigido por Stanley Kubrick, como obra exemplar da formulação dos mecanismos de análise, em relação aos contextos sócio-históricos em que se insere sua produção, considerando, particularmente as relações entre ciência, tecnologia e bens de consumo na ficção científica e o contexto cultural e político envolvido nas viagens espaciais imaginadas nessas histórias. Discutimos brevemente alguns elementos teóricos que servirão de base para nossas analises, iniciando pelas contribuições da linguística de Saussure e Hjelmslev e passando pelos esforços de Barthes e Pottier na constituição, respectivamente, de uma semiologia e de uma semântica lexical. Procuramos articular todos esses elementos à luz da semiótica de Greimas. Complementamos com alguns aspectos da semiótica semissimbólica e da semiótica tensiva, para finalmente desenvolver o conceito de contrafactual e discutir sua aplicação no estudo interpretativo da obra de fantasia. Empregando os recursos apresentados, realizamos algumas análises de aspectos selecionados do filme “2001: Uma odisseia no espaço”, com ênfase para as duas partes iniciais, procurando evidenciar o uso das ferramentas de interpretação bem como o conteúdo expresso na obra em aspectos relacionados à ciência e à tecnologia e encerramos procurando formular um modelo de análise que seja aplicável a obras de ficção científica e outras obras que retratem a atividade científica, tendo como base a articulação de elementos da semiótica com contribuições da teoria da transposição didática de Chevallard, entre outras. Aplicamos esse modelo à análise de trechos selecionados do filme.

Luis Piassi é professor da EACH-USP, graduado em física e doutor em Educação pela USP. Orienta em Ensino de Ciências na USP, sobre o uso didático de produções de fantasia, cultura pop e mídias visuais, e em Estudos Culturais sobre as expressões da fantasia e da ciência no cinema, na música, na literatura e na moda. É professor do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da EACH-USP, do programa de Pós Graduação em Estudos Culturais da EACH-USP e do programa de Pós Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da USP.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 25 de maio de 2012.
Das 14h00 às 15h30.
Sala 266 do prédio de Letras USP.

A palestra é aberta a todos os interessados. Não é necessário inscrever-se previamente.