FAPS 29.11.2013

Representações discursivas do imigrante no Brasil

por Alexandre Marcelo Bueno
(PUC-SP)

Entendido como representação discursiva, o simulacro está presente nos modos de interação entre a identidade e a alteridade. Na já longa história da imigração no Brasil, a sociedade e o Estado brasileiros (entendidos como uma identidade) construíram uma série de representações do imigrante (enquanto uma alteridade). Tais representações têm em sua base valores eufóricos e disfóricos que determinam as imagens do imigrante desejável e indesejável cujos temas variam de “elementos fundamentais para o desenvolvimento nacional” a “alienígenas que podem degenerar a sociedade brasileira”. Em outras palavras, a imagem do imigrante, ao longo da história do Brasil, oscilou entre ser importante para a construção da nação brasileira ou ser uma ameaça à integridade do país. Ao mesmo tempo em que elaboram a imagem do Outro, a sociedade e o Estado brasileiros erigem também seus próprios simulacros, às vezes ligados a uma ideia de unidade nacional (gerada pela triagem) às vezes relacionados a uma ideia de diversidade cultural (produzida pela mistura).

Alexandre Marcelo Bueno é mestre e doutor em Semiótica e Linguística Geral pela USP. Atualmente, realiza pós-doutorado no Centro de Pesquisas Sociossemióticas da PUC-SP.

:. página inicial do faps

Sexta-feira, 29 de novembro de 2013.
Das 14h00 às 15h30.
Prédio de Letras USP.

A palestra é aberta a todos os interessados. Não é necessário inscrever-se previamente.