Lamarck e seu tempo: o que ele realmente pensava sobre evolução

Início do evento
Final do evento
Início da inscrição
Final da inscrição
E-mail
chciencia@usp.br
Telefone
(11) 3091-2063
Docente responsável pelo evento
Gildo Magalhães
Local do evento
Outro local
Auditório / Sala / Outro local
Sala Alfredo Bosi, Rua Praça do Relógio, 109, Cidade Universitária, São Paulo
O evento será gratuito ou pago?
Evento gratuito
É necessário fazer inscrição?
Com inscrição prévia
Haverá emissão de certificado?
Sim
Haverá participação de docente(s) estrangeiro(s)?
Não
Descrição

Um dos nomes relacionados à evolução, além de Charles Darwin (1809-1882), é J. B. P. A. de Monet, Chevalier de Lamarck (1744-1829). Embora suas ideias sejam conhecidas pelos especialistas, alguns dos aspectos de sua teoria permanecem desconhecidos pelo público em geral, ocasionando interpretações equivocadas. O objetivo desta apresentação é discutir sobre as condições da ciência na época da proposta de Lamarck, incluindo a origem das espécies, qual a concepção de ciência mais aceita, como ele elaborou sua teoria, quais seus principais aspectos e como ela foi recebida pelos seus coetâneos. A pesquisa desenvolvida mostrou que inicialmente Lamarck acreditava que as espécies eram fixas, mas depois mudou de ideia. Ele procurou explicar desde o surgimento dos primeiros seres vivos por geração espontânea até a origem do homem. Em uma época em que tanto o empirismo mais amplo de Condillac, como o empirismo mais restrito dos ideólogos eram aceitos, a teoria de Lamarck teve um baixo impacto e uma mínima aceitação, sendo objeto de críticas, principalmente de Georges Cuvier (1769-1832) e seus discípulos, apesar de seu esforço em procurar fundamentá-la sob o ponto de vista empírico.

Palavras-chave: história da evolução; século XIX; Lamarck, J. B.; Cuvier, Georges.

Palestrante:

Lilian Al-Chueyr Pereira Martins (FFLCRP/USP)

Moderador:

Gildo Magalhães dos Santos Filho (CHC e IEA/USP)

Imagem