FFLCH tem um trabalho vencedor e duas menções honrosas no Prêmio Capes Tese 2021

As teses foram realizadas, respectivamente, nos Programas de Pós-Graduação em Ciência Política, História Social e Linguística

Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

No dia 3 de setembro, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou o resultado do Prêmio Capes de Tese Edição 2021, que é entregue às melhores teses de doutorado defendidas em 2020. 

Nesta 16ª edição da premiação, 49 trabalhos foram escolhidos em cada área de avaliação reconhecida pela Capes e 92 receberam menção honrosa. Deste total, sete são da USP, que tem outras 15 teses distinguidas com menções honrosas. E a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) teve uma tese premiada e duas menções honrosas. 

Todo o processo seletivo considerou a originalidade, a relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural e social do País, a qualidade e quantidade de publicações decorrentes da tese, sua metodologia, redação, estrutura e organização do texto.

Entre os 49 escolhidos na primeira etapa, três serão agraciados com o Grande Prêmio, um por cada área de avaliação: Ciências da Vida, Humanidades e Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar. Os vencedores do Grande Prêmio serão conhecidos em dezembro.

Ciência Política, História e Linguística 

A tese da FFLCH premiada foi na área de avaliação Ciência Política e Relações Internacionais, de autoria de Felipe Freller, com o título Benjamin Constant e o problema do arbítrio: um decisionismo moderado, orientada pela professora Eunice Ostrensky, do Departamento de Ciência Política e pelo Programa de Pós-Graduação de mesmo nome, coorientada por Frédéric Brahami.

“A tese de Felipe acompanha a produção política e intelectual de Benjamin Constant, considerado um dos fundadores do liberalismo político, desde os golpes do Diretório, em 1795-99, até os debates em torno da Carta constitucional de 1814, enfatizando o caráter de intervenção prática de sua obra e a rede de interlocução com personagens de seu tempo. Como demonstra a tese, nesse contexto conflituoso e incerto, Constant estava preocupado com os diversos e contraditórios aspectos do problema teórico do arbítrio, em face da necessidade de proteção da liberdade individual e das disputas constitucionais. Ao contrário do que se poderia pensar, Constant não propõe a abolição do arbítrio da vida política em nome de uma defesa vazia do Estado de direito, mas considera imprescindível, para evitar a tirania, preservar um certo grau de arbitrariedade nas decisões derivadas do julgamento moral individual. A tese de Felipe contribui com uma nova perspectiva sobre o liberalismo, ao explorar as particularidades de sua emergência na França, ao longo de parte dos séculos XVIII e XIX”, explica a orientadora Eunice Ostrensky.

A tese de Freller tem previsão de ser publicada pela Editora Appris em novembro de 2021, com o título Quando é preciso decidir: Benjamin Constant e o problema do arbítrio, com prefácio de Pierre Manent.

Duas teses da FFLCH receberam menções honrosas. Uma delas foi na área de avaliação História, com o trabalho Suspensão de garantias na monarquia constitucional representativa brasileira: debates parlamentares, práticas políticas e contestação à ordem (1824-1842), feito por Vivian Chieregati Costa, com orientação de Monica Duarte Dantas e coorientação de Samuel Rodrigues Barbosa, pelo Programa de Pós-Graduação em História Social. 

A segunda foi na área de avaliação Linguística e Literatura, realizada por Wellington Santos da Silva, com o título A Língua Geral de Mina e o Ciclo do Ouro: um capítulo da história dos contatos no Brasil, orientada pela professora Esmeralda Vailati Negrão, do Departamento de Linguística e pelo Programa de Pós-Graduação de mesmo nome. 

​​​​​​​Saiba mais sobre a premiação

Os autores das teses selecionadas receberão bolsa de até um ano para estágio pós-doutoral em instituição nacional, certificado e medalha. Seus orientadores ganharão um prêmio para participação em evento acadêmico-científico nacional, no valor de até R$3 mil, além de certificado que também será oferecido aos coorientadores e ao Programa de Pós-Graduação (PPG) no qual a tese foi defendida. 

E os três autores que serão premiados com o Grande Prêmio ganharão uma bolsa para estágio pós-doutoral em instituição internacional, por até 12 meses, certificado e troféu. Cada orientador vai receber premiação de R$9 mil, para participar de congresso no exterior e certificado de premiação que também será entregue aos coorientadores e ao Programa em que a tese foi defendida. 

Prêmios adicionais serão concedidos pelas instituições parceiras. A Fundação Carlos Chagas oferece R$15 mil aos autores das teses vencedoras nas áreas de Educação e Ensino, além de quatro menções honrosas no valor de R$5 mil, duas em cada uma dessas áreas.

A Comissão Fulbright dará uma bolsa de pós-doutorado de quatro meses, no valor de US$16 mil para um dos inscritos cujo trabalho evidencie a amplitude e a profundidade das relações Brasil-Estados Unidos. Já a Dimensions Sciences premiará com US$2 mil uma autora na área de Biotecnologia cujo trabalho tenha relação com inovação e empreendedorismo.

As menções honrosas serão concedidas em forma de certificados aos autores, orientadores, coorientadores e ao programa em que foi defendida cada tese.

Com informações da CAPES