Divulgação Científica

Pesquisa analisa avanços e retrocessos em políticas de direitos humanos no Brasil

 

Nas últimas décadas, o tema dos direitos humanos no Brasil experimentou dois períodos distintos: um fenômeno de expansão, com programas e políticas públicas em uma reação da sociedade civil à violência praticada por autoridades do Estado, que teve seu ápice com o massacre do Carandiru, em 1992; e um movimento em reação a tais políticas, principalmente após o 3º Programa Nacional de Direitos Humanos, implementado em 2009, e que teve a Comissão da Verdade como principal produto.

Estudo avalia prejuízos do Plano Collor no dia a dia da população

 

Imagine, caro leitor, se o governo limitasse os saques de sua conta bancária a partir de amanhã. Pois bem, foi o que aconteceu no dia seguinte à posse de Fernando Collor de Melo, como Presidente do Brasil, em 1990. 

O Plano Brasil Novo (conhecido como Plano Collor), entre outras medidas contra a inflação, limitou o saque de contas bancárias a R$ 8.300, em valores atuais, não importando o saldo existente, e sumiu com cerca de 75% do dinheiro em circulação na economia brasileira.

Plataforma reúne 400 bancos de dados para uso por pesquisadores

 

O Consórcio de Informações Sociais (CIS) está trabalhando na captação de bancos de dados junto à comunidade acadêmica. Pesquisadores e laboratórios podem submeter dados de trabalhos produzidos durante a criação de teses, dissertações, iniciações científicas, etc.

A ideia da plataforma, vinculada aos departamentos de Sociologia e Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, é gerar um intercâmbio de informações com pesquisas qualitativas e quantitativas em diversos campos das Ciências Sociais e áreas relacionadas.

Legislação brasileira não consegue acolher refugiados africanos 

 

A trajetória de imigrantes africanos em busca de se legalizarem no Brasil foi tema de um doutorado do Departamento de Geografia da FFLCH USP, defendido em março de 2018. 

O geógrafo Allan Rodrigo de Campos Silva acompanhou angolanos, senegaleses e congoleses que não encontram alternativas viáveis para se legalizar, e acabam empurrados ao Estatuto do Refugiado como única forma de estabelecer uma vida por aqui. 

Pesquisa mostra construção de personagens lésbicas mais próximas da realidade

 

Há não muito tempo, histórias sobre lésbicas não tinham finais felizes. Era comum na literatura as personagens vivendo conflitos típicos de relações heterossexuais, além de serem constantemente associadas à prostituição e perversões sexuais. Nos últimos anos, as tramas evoluíram para algo mais próximo da realidade, apesar de muitos estereótipos ainda estarem presentes nas narrativas.