Novos presidentes e vice-presidentes das Comissões são eleitos

Graduação, Pós-Graduação, Cultura e Extensão Universitária, Inclusão e Pertencimento, e Cooperação Internacional têm novas gestões

Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria

Na 407ª sessão ordinária da Congregação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, realizada no dia 20 de outubro, no Salão Nobre, foram eleitos os novos presidentes e vice-presidentes das Comissões Estatutárias da Unidade: Graduação, Pós-Graduação, Cultura e Extensão Universitária, Inclusão e Pertencimento, e Cooperação Internacional.

Pelo Estatuto da USP, o mandato das comissões têm duração de dois anos, que podem ser prorrogados por mais dois. Os mandatos das Comissões terminaram no dia 25 de setembro. Os novos mandatos tiveram início em 21 de outubro e terminam em 25 de setembro de 2024.

Entre essas comissões, a de Pós-Graduação é a única em que a presidente e o vice-presidente foram reeleitos, porque o mandato anterior era o primeiro deles nesta composição. Na Cultura e Extensão Universitária, a professora Cilaine atuou como vice-presidente no mandato anterior e agora será a presidente. 

Uma 
novidade é a eleição para a Comissão de Inclusão de Pertencimento (CIP), que com a criação da Pró-Reitoria de Inclusão e Pertencimento (PRIP) da USP poderia se estabelecer uma comissão desta área nas Unidades também.

Não houve inscrições para a Comissão de Pesquisa e Inovação, por isso novo período de inscrições está aberto até 11 de novembro e a eleição vai ocorrer no dia 17 de novembro, na próxima reunião da Congregação da FFLCH.

Confira, a seguir, a nova composição das Comissões, os departamentos aos quais são vinculados e um resumo dos seus projetos:

Graduação: Eduardo Donizeti Girotto - Departamento de Geografia (presidente) e Vanessa Martins do Monte - Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (vice-presidente)

 

eduardog

Eduardo Donizeti Girotto

vanessa

Vanessa Martins do Monte

 

  • Compreender o perfil dos discentes da graduação e dos egressos do curso como subsídio para as mudanças curriculares e as políticas de ingresso e permanência na unidade.
  • Fortalecer o diálogo com a Pró-Reitoria de Graduação, reafirmando as especificidades do ensino de graduação de nossa unidade.  
  • Ampliar o diálogo com as Secretarias Estaduais e Municipais de Educação com o intuito de fortalecer as experiências de estágio supervisionado nas licenciaturas.
  • Realizar interlocução com o Conselho Estadual de Educação em temas referentes aos processos de renovação de reconhecimento de curso de nossas unidades. 
  • Ampliar os canais de comunicação da CG com a comunidade da FFLCH, com o intuito de dar maior visibilidade as ações de ensino de ensino desenvolvidas na unidade.


Pós-Graduação: Claudia Consuelo Amigo Pino - Departamento de Letras Modernas (presidente) e Edelcio Gonçalves de Souza - Departamento de Filosofia (vice-presidente)

 

 

claudia

Claudia Consuelo Amigo Pino

edecio

Edelcio Gonçalves de Souza

 

  • Organizar um seminário no início de 2023 para discutir a pós-graduação da FFLCH, com a presença de ex-avaliadores e ex-coordenadores da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes);
  • Desenvolver ações a partir das sugestões dos participantes dos seminários;
  • Ajudar a melhorar a situação administrativa da pós-graduação nas secretarias dos programas;
  • Constituir um escritório central de apoio ao preenchimento da Plataforma Sucupira;
  • Desenvolver ações para evitar evasão e outras situações derivadas da piora da saúde mental de alunos e professores durante a pandemia.


Cultura e Extensão Universitária: Cilaine Alves Cunha - Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (presidente) e Eduardo Brandão - Departamento de Filosofia (vice-presidente)

 

cilaine

Cilaine Alves Cunha

eduardob

Eduardo Brandão

 

  • Continuar os projetos e práticas em vigor na área, como os cursos de difusão gratuitos oferecidos em bloco, com período de inscrição e realização dos cursos num mesmo período, por exemplo: Cursos de Verão e de Inverno;
  • Fomentar cada vez mais a diversidade e a multidisciplinaridade dos cursos;
  • Continuar com a participação expressiva na Feira USP e as Profissões; 
  • Estimular e desenvolver os talentos artísticos (música, teatro, performance, etc) da comunidade FFLCH em eventos como a Semana de Arte e Cultura;
  • Estabelecer parcerias para o oferecimento de cursos. 


Inclusão e Pertencimento: Tessa Moura Lacerda - Departamento de Filosofia (presidente) e Heloísa Buarque de Almeida - Departamento de Antropologia (vice-presidente)

 

tessa

Tessa Moura Lacerda 

heloisa

Heloísa Buarque de Almeida

 

  • A nova Comissão vai elaborar coletivamente um Estatuto,
  • Implantar áreas relacionadas às diretorias da PRIP (vida no campus, diversidades, saúde mental, direitos humanos e vida profissional);
  • E vai incorporar duas comissões da Faculdade, que não são estatutárias: a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) - que têm as professoras Tessa e Heloísa como presidente e vice-presidente - e a Comissão de Acessibilidade, as quais vão funcionar como comissões assessoras da CIP. 


Segundo Tessa, que participa das reuniões do Conselho de Inclusão e Pertencimento (CoIP) da PRIP desde o início, a Pró-Reitoria recomendou que as Comissões de Direitos Humanos não fossem extintas dentro das Unidades.

Pois, na FFLCH, ela funciona de maneira diferente, por não ter representantes e todos serem membros, e acaba tendo uma abertura maior para estudantes e funcionários manifestarem suas questões. E, com a manutenção da CDDH, será possível manter o acolhimento já realizado.

"A universidade está institucionalizando um cuidado para promover, de fato, a ideia da democratização da universidade. E, com o apoio institucional da PRIP, será ampliado de certa forma, com espaço físico e funcionários"
, destaca Tessa.

 

Cooperação Internacional (CCInt): Marcos Martinho dos Santos - Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (presidente) e Lígia Vizeu Barrozo - Departamento de Geografia (vice-presidente) 

 

marcos

Marcos Martinho dos Santos

ligia

Lígia Vizeu Barrozo

 

  • Há um único convênio de dupla-titulação de curso de graduação (com a Université Lumière de Lyon II, França, para alunos do curso de francês). Assim, a gestão pretende aumentar o número de convênios, buscando novas parcerias de acordo com o interesse dos cursos da Faculdade;
  • A CCInt trabalha de modo contínuo com a Comissão de Graduação. No entanto, a CCInt é uma comissão transversal que pode manter linhas de ação conjunta com as demais comissões. Assim, pretende-se trabalhar com estas a fim de juntas traçar políticas de internacionalização que abranjam a pós-graduação e a pesquisa também;
  • Atualmente, o intercâmbio é exclusivamente presencial. Alguns alunos, porém, não têm condições materiais nem familiares que lhes permitam deixar o País para realizar o intercâmbio no exterior, mas querem ter contato didático e metodológico com outras Universidades parceiras internacionais. Assim, pretende-se procurar os meios legais e formais para regularizar o intercâmbio virtual com estas. Desse modo, seria criada uma nova modalidade de intercâmbio (tanto de curta como de longa duração) que se somaria à atual (presencial);
  • Além do intercâmbio internacional, existe o intercâmbio nacional. No entanto, este restringe-se às duas universidades estaduais paulistas (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp e Universidade Estadual de Campinas - Unicamp). Assim, pretende-se desenvolver políticas e estratégias que viabilizem a implementação do intercâmbio nacional com outras universidades estaduais e também com universidades federais;
  • O intercâmbio exige do aluno que comprove sua proficiência em língua estrangeira, o que, às vezes, exige do aluno que procure alguma instituição que aplique o teste de língua. Ao mesmo tempo, os alunos estrangeiros que são recebidos para realizar intercâmbio na Faculdade procuram meios para desenvolver sua proficiência em português. Assim, pretende-se negociar com o Centro de Línguas a possibilidade de aplicação de testes de línguas para nossos alunos e o oferecimento de curso de ‘português para estrangeiros’ para os alunos estrangeiros que são recebidos.