FFLCH e Consulado Geral da Itália firmam convênio para cooperação cultural e didática

Durante o encontro, também foram abordadas outras iniciativas que podem ser implantadas para ampliar a oferta de atividades na área de Língua e Literatura Italianas
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria
Institucional
Notícias

 

 

Matéria editada em 30/11/2018, às 16h15*

 

Assinatura do convênio
A diretora da FFLCH, Maria Arminda do Nascimento Arruda, e o cônsul-geral da Itália em São Paulo, Filippo La Rosa - Foto: Fábio Nakamura / STI-FFLCH

No dia 27 de novembro, terça-feira, a direção da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e o Consulado Geral da Itália em São Paulo assinaram um termo de convênio para cooperação cultural e didática. O termo foi firmado pela diretora da FFLCH, Maria Arminda do Nascimento Arruda, e o cônsul-geral da Itália em São Paulo, Filippo La Rosa. O encontro também contou com a presença das professoras do Departamento de Letras Modernas (DLM) Lenita Maria Rimoli Esteves e Lucia Wataghin, respectivamente, chefe do Departamento e vice-coordenadora da área de Língua e Literatura Italiana.

A assinatura visa regulamentar a presença de um professor Leitor italiano junto ao DLM, na área de Língua e Literatura Italianas, com o objetivo de promover o ensino, a pesquisa e a divulgação da língua, literatura e cultura italianas.

No plano de trabalho, as tarefas previstas para o professor Leitor serão: ensinar a ler, escrever e expressar-se em língua italiana, ministrar cursos de cultura e literatura italiana, fomentar as relações culturais entre Brasil e Itália, promover as iniciativas que o governo italiano proporciona em prol da difusão da língua e cultura italiana, no âmbito das várias unidades acadêmicas da USP.

As atividades serão desenvolvidas em dois semestres e, além das aulas, faz parte da sua função docente a preparação das aulas, a correção das provas, o acompanhamento dos alunos aos eventuais eventos, a participação às várias reuniões. As despesas serão pagas pelo Ministério das Relações Exteriores Italiano. 

Por sua vez, a Universidade fornecerá a estrutura para o professor Leitor desenvolver suas atividades didáticas e de difusão cultural. Este termo de convênio têm vigência de cinco anos.

Outros convênios

O italiano é uma das 16 habilitações que o curso de Letras da FFLCH oferece na graduação. Atualmente, há cerca de 250 alunos de graduação que fazem a habilitação em italiano e 40 alunos no Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas.

Este Programa produz e disponibiliza gratuitamente ao público em geral um material on-line para o ensino do italiano: Dire, Fare, Partire! (disponível desde 2014) e Dire, Fare, Arrivare! (desde 2017), que podem ser acessados pela página do Facebook do curso.

A Faculdade mantém 12 convênios com 11 universidades da Itália. Confira a relação das instituições e as áreas de pesquisa relacionadas na página da Comissão de Cooperação Internacional (CCInt) da Faculdade.
 

Representantes da FFLCH e do Consulado Geral da Itália em SP presentes na reunião
Representantes da FFLCH e do Consulado Geral da Itália em São Paulo também discutiram como ampliar a cooperação existente - Foto: Fábio Nakamura / STI-FFLCH


Ampliar cooperação

Na reunião, a diretora lembrou que a cidade de são Paulo, assim como a criação da USP, teve e tem bastante influência e participação dos italianos e seus descendentes.

“Não tem outra cidade no mundo que tem uma integração tão grande entre a sua população, os italianos e os seus herdeiros como em São Paulo”, ressaltou o cônsul-geral da Itália em São Paulo, Filippo La Rosa – o qual ocupa o posto no Consulado desde 1º de agosto deste ano, mas está no país desde outubro de 2013, porque era chefe adjunto da missão na Embaixada Italiana em Brasília.

Durante a conversa, também foram discutidas iniciativas para aumentar a cooperação entre a Faculdade e o Consulado da Itália, como a ideia de criação de uma Cátedra de Estudos da área de Língua e Literatura Italiana, no modelo das três Cátedras existentes na FFLCH.

Esta ideia será estudada pela Unidade, pois o assunto precisa ser discutido primeiro pelo Conselho do DLM, ao qual a área de italiano é vinculada, para depois ser levado adiante em outros órgãos internos. E, para o Consulado entender melhor o funcionamento das Cátedras, a direção da FFLCH enviará para o órgão o regimento delas e, em fevereiro de 2019, realizarão uma reunião para ampliar a conversa sobre esta ideia.

“Seria muito bom termos uma melhor estrutura e poder ampliar a oferta de cursos na área de italiano”, afirmou o cônsul-geral. “Eu espero que os investimentos da Itália no nosso país novamente aconteçam e que a nossa Universidade possa fazer parte disso”, declarou a diretora.

 

*O número de alunos de Graduação e de Pós-Graduação foi corrigido.