Luto: Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira

Marcante na história do pensamento social, Chico de Oliveira foi um dos maiores intérpretes da sociedade brasileira, mesclando sua vida pessoal à história do Brasil
Por
Paulo Andrade
Data de Publicação
Editoria


A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas está de luto.

Faleceu no dia 10/07 o professor Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira, sociólogo marcante na história do pensamento social e um dos maiores intérpretes da sociedade brasileira.

Intelectual público e engajado, Chico de Oliveira, como era conhecido, mesclou sua vida pessoal à história do Brasil.

A Diretoria da FFLCH enlutada solidariza com a família, amigos, estudantes e colegas de Chico de Oliveira. 

 

Maria Arminda do Nascimento Arruda 
Diretora 

Paulo Martins 
Vice Diretor

----


Um dos maiores nomes da sociologia do Brasil, o docente nasceu em 1933, em Recife, Pernambuco, e graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1956.

Começou sua carreira como servidor público no Banco do Nordeste, entre 1956 e 1957, e na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE), entre 1959 e 1964, onde trabalhou ao lado do economista Celso Furtado.

Com a ditadura militar, em 1964, partiu para o exílio no Chile. Em 1965 e 1966, viveu na Guatemala, atuando na Misión Conjunta de Programación Para Centro America (MCPCA), como servidor técnico em atividades econômicas. Em 1966, mudou-se para o México, trabalhando como professor e pesquisador no Centro de Estudios Monetários Latinoamericanos (CEMLA) até 1968.

De volta ao Brasil, o professor foi convidado pelo sociólogo Octávio Ianni para o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), em 1970. Nesse período, passou a pesquisar sobre economia brasileira e desenvolveu plenamente sua carreira como sociólogo até 1983, sendo também presidente do Conselho Deliberativo entre 1993 e 1995. 

No período entre 1980 e 1988 foi docente e pesquisador na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), quando então ingressou como docente na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, onde atuou principalmente nas áreas de Planejamento Urbano e Regional, Estudos Industriais e Economia Regional. 

Também lecionou como professor visitante na França, no Centre de Dévelopement, em 1983, e na Office de La Recherche Scientifique Et Technique D'outre Mer, em 1984.

Entre seus grandes trabalhos estão os ensaios A economia brasileira: crítica à razão dualista, de 1972, e O ornitorrinco, ambos editados no livro Crítica à razão dualista/O ornitorrinco, vencedor do Prêmio Jabuti 2004 na categoria Ciências Humanas.

Foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980, ao qual foi filiado até 2003, quando ajudou na fundação do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Recebeu o título de Doutor em Sociologia por Notório Saber, concedido pela Congregação da FFLCH, em 1992, onde também recebeu o título de Professor Emérito, em 2008.