Cátedra Jaime Cortesão seleciona pós-graduandos da USP para estágio de pesquisa em Portugal

De 16 a 30 de setembro, estarão abertas as inscrições do edital que escolherá 5 alunos de mestrado e/ou doutorado para realizarem pesquisas em arquivos, bibliotecas e/ou centros de memória e documentação no país europeu
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria

 

 

ANTT
Fachada do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, uma das instituições mais antigas de Portugal, que guarda documentos originais desde o século IX até à atualidade, e é um dos locais que os pós-graduandos selecionados pela Cátedra realizam pesquisas - Foto: Divulgação

 

A Cátedra Jaime Cortesão da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP estará com inscrições abertas, de 16 a 30 de setembro, para o processo seletivo do estágio de pesquisa em Portugal 2019. O processo selecionará cinco alunos de pós-graduação da USP interessados em realizar pesquisas em arquivos, bibliotecas e/ou centros de memória e documentação em Portugal, entre dezembro de 2019 e março de 2020.

A oportunidade é aberta tanto aos alunos do mestrado quanto do doutorado da USP. Os estudantes de pós-graduação selecionados vão receber auxílio de €$ 700,00 (euros) por mês, com duração máxima de dois meses, para o custeio da permanência (diárias) em Portugal. As despesas com passagem aérea, seguro saúde e passaporte são de responsabilidade dos candidatos. 

A iniciativa é patrocinada pelo Instituto Camões – que atua nas áreas da cooperação internacional, na promoção da língua e cultura portuguesas – com o qual a Cátedra mantém convênio, sendo a mais antiga do Brasil da Rede Camões, entre seis existentes no país.

Pesquisa presencial 

A oportunidade de realizar pesquisa em outro país é uma experiência importante, mesmo tendo muitos acervos disponíveis online, é o que ressalta a presidente da Cátedra, Vera Lucia Amaral Ferlini, professora do Departamento de História. “Embora atualmente muitos acervos estejam disponíveis online, o contato direto com os arquivos e centros, suas dinâmicas, possibilidades e pesquisadores enriquece a formação do estudante”.

Esta opinião é compartilhada pela historiadora Natalia Tammone, que possui graduação, mestrado e doutorado pela FFLCH. Ela realizou o estágio de pesquisa em 2010, por dois meses, durante o seu mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em História Econômica da Faculdade.

“Tem muitos arquivos digitalizados, mas é impossível ter tudo online”, frisa. Natália cita como exemplo um dos centros pesquisados por ela, o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, no qual muita documentação ela só teve acesso quando foi pesquisar presencialmente, como a da diplomacia de antigamente, os balanços de comércio e a documentação econômica da época que o Brasil era colônia de Portugal. 

Para Natalia, o contato pessoal e direto com os pesquisadores em Portugal lhe possibilitou uma maior troca de conhecimentos e uma vivência em outra cultura que ela não teria no Brasil, como o fato de ter feito pesquisas junto à Universidade de Lisboa, sob a supervisão do professor Jorge Miguel de Melo Viana Pedreira [Miguel Pedreira], que antes tinha tido atuado como secretário de Estado Adjunto e da Educação de Portugal (2005-2009). 

Outro fator destacado pela historiadora é que, na época de sua participação no estágio, somente o edital oferecido pela Cátedra dava a oportunidade de alunos do mestrado participarem de intercâmbio acadêmico com algum auxílio. Pois, este tipo de atividade era ofertada somente no doutorado.  

Durante o seu doutorado, Natalia retornou à Portugal, desta vez pelo período de um ano, que só foi possível por causa das relações de pesquisa e trabalho que estabeleceu durante o estágio anterior. “O estágio de pesquisa que fiz pela Cátedra me possibilitou conhecer ‘o caminho das pedras’ para poder voltar a pesquisar novamente naquele país, porque eu já conhecia os arquivos e professores”, afirma.

Datas 

O processo seletivo acontecerá em duas fases. Após o período de inscrições, de 16 a 30 de setembro, será feita a análise das propostas dos candidatos inscritos, de 1º a 9 de outubro, com base na documentação enviada. O resultado desta primeira etapa será divulgado a partir do dia 10 de outubro. A segunda fase consiste na entrevista presencial com os candidatos aprovados na primeira parte, de 21 a 24 de outubro. E o resultado final será em 29 de outubro.

As inscrições estarão abertas, de 16 a 30 de setembro, através do site: www.cjc.fflch.usp.br (o link só estará disponível durante este período). Mais detalhes sobre o processo seletivo, como os documentos exigidos, estão na página da Cátedra Jaime Cortesão sobre o edital para seleção de estágio de pesquisa em Portugal: http://cjc.fflch.usp.br/estagio2019.

 

mapa

Arte: João Pedro Araújo - SCS/FFLCH


20ª Edição

Esta é a 20ª edição deste processo seletivo, que é realizado desde 2002 e prevê uma ampla gama de pesquisas na área de Ciências Humanas, através do qual cerca de 120 alunos puderam realizar pesquisas em Portugal. Ao longo deste tempo, aproximadamente 20% dos contemplados neste projeto de investigação eram estudantes de outras universidades brasileiras, além dos alunos da FFLCH e da USP. 

A Cátedra Jaime Cortesão tem por objetivo promover o desenvolvimento de pesquisas no campo da história e da cultura de Portugal e do mundo de língua portuguesa. Ela associa os Departamentos de História e de Letras Clássicas e Vernáculas, na pesquisa e divulgação da História de Portugal e do Mundo de Colonização e Língua Portuguesa. 

Criada em 1991, de acordo com convênio firmado entre a USP e o Governo Português, foi reformulada em 1997, em convênio com o Instituto Camões. Até 1998, esteve vinculada ao Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade, passando, em 1999, para a FFLCH. 

Este órgão da FFLCH está instalado no Edifício Eurípedes Simões de Paula (Geografia e História), no qual possui área de biblioteca, salas de reunião, gabinetes para visitantes, centro de informática e amplo jardim. Seu acervo cerca de 5 mil volumes de edições críticas e fac-similares de documentos e de atualização historiográfica.

Mais informações: cjc@usp.br