Seminário na FFLCH discute a economia política do turismo no mundo e no Brasil

O evento está com inscrições abertas e contará com a participação de pesquisadores do Brasil, da Argentina, África do Sul, Estados Unidos, Espanha, França, México, Moçambique, Suécia e Turquia
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria

 

mapa turismo
Imagem: Pixabay 

De 26 a 31 de outubro, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP será palco do seminário internacional A Economia Política do Turismo, promovido pelo Laboratório de Estudos Regionais (LERGEO) do Departamento de Geografia.

O evento vai debater o turismo a partir de uma perspectiva da economia política com os objetivos de contribuir para a reflexão crítica acerca do turismo na atualidade e promover um caminho analítico inovador fundamentado em uma economia política do espaço.

E contará com a participação de pesquisadores do Brasil, da Argentina, África do Sul, Estados Unidos, Espanha, França, México, Moçambique, Suécia e Turquia.

Entre os convidados estrangeiros, pode-se apontar a presença do presidente da Comissão de Turismo e Lazer da International Geographical Union, Dieter Muller, e docente da Umea University, Suécia; e a diretora da Cátedra de Cultura, Turismo e desenvolvimento da Unesco e professora da Université Paris 1-Sorbonne, Maria Gravari-Barbas, que fará a conferência de encerramento. Maria é urbanista, doutora em Geografia e com uma longa trajetória de pesquisa em turismo, especialmente relacionada à temática patrimonial.

Já entre os brasileiros, destacam-se as professoras Ana Fani Alessandri Carlos, do Departamento de Geografia da FFLCH, que ministrará a conferência de abertura – ela tem quase 40 anos de estudos na Geografia, sobretudo no âmbito da Geografia Urbana –; Ester Limonad, da Universidade Federal Fluminense (UFF), e Rita de Cássia Ariza da Cruz, também da FFLCH, uma das coordenadoras do seminário.

Diferentes perspectivas

“É fato notório o crescimento do turismo em importância em todo o mundo e estudos acadêmicos multiplicaram-se ao longo do século XX visando analisar a atividade sob diferentes aspectos: históricos, sociológicos, psicológicos, econômicos, ambientais e políticos, por exemplo. Entretanto, é ainda escassa sua abordagem a partir de uma perspectiva da economia política”, ressalta Rita.

A docente chama a atenção para o fato do turismo ser colocado, muitas vezes, somente em um patamar econômico, como atividade que gera consumo, mas raras vezes a partir de uma perspectiva da política.

“O turismo se realiza nos lugares para onde se viaja e, além disso, demanda um deslocamento espacial, tendo o espaço como principal objeto de consumo, o que aponta para sua importância enquanto tema na Geografia. Porém, o turismo tem uma existência multifacetada, é uma prática social e econômica também. E, por isso, a Geografia vem olhando o de uma forma crítica”, frisa Rita, que é autora de livros sobre a área: Política de turismo e território (2000), Introdução à geografia do turismo (2001) e Geografias do turismo: de lugares a pseudo-lugares (2007).   

As inscrições para ouvintes ainda estão abertas e podem ser feitas diretamente pelo site do evento: http://ecopoltur.fflch.usp.br/, clicando no item inscrições e depois em Paypal, no valor de R$ 50,00 – que inclui o direito ao certificado (se tiver 75% de presença) e o acesso aos materiais impressos.

As atividades do seminário internacional A Economia Política do Turismo serão realizadas no Edifício Eurípedes Simões de Paula (prédio de Geografia e História), na Av. Prof. Lineu Prestes, 338 – Cidade Universitária, São Paulo.

Mais informações também pelo mesmo site.