Canções de Chico Buarque são analisadas em obra de ex-aluno de doutorado e professora de Letras

O lançamento será no dia 13, na Livraria Cultura, com bate-papo e uma performance musical. No trabalho, são abordadas canções do período de 1964 a 1985, que é fruto de pesquisa realizada na FFLCH
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria

 

 

capa livro

 

Na próxima sexta-feira, dia 13 de dezembro, às 19h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, acontece o lançamento do livro Retórica e canção, de Adriano Dantas de Oliveira e Lineide do Lago Salvador Mosca. Os autores são, respectivamente, ex-aluno de doutorado e professora do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (DLCV) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. 

No livro, são analisadas 13 canções do compositor, cantor e escritor Chico Buarque, como mostra da perspectiva na abordagem ao texto cancional. São apresentadas canções compostas entre 1964 e 1985, espaço-tempo delineado por tensões e controvérsias no Brasil, fator que enfatiza mais ainda a canção como lugar de argumentação. Canções como A Banda (1966), Apesar de você (1970) e Vai passar (1984) estão entre as estudadas no livro. 

Opressão e liberdade são temas fundamentais em canções buarquianas sociopolíticas do período da ditadura no Brasil e a melos como prova de persuasão articulada à tradicional trilogia retórica de Aristóteles. 

Pesquisa acadêmica 

A obra é resultado da pesquisa acadêmica de Adriano Dantas de Oliveira realizada no doutorado em Filolofia e Língua Portuguesa, cuja tese tem o título A dimensão retórico-discursiva das canções buarquianas, mobilização de paixões na articulação tensiva opressão versus liberdade e melos como prova de persuasão, obtida em setembro de 2014, sob a orientação da professora Lineide. 

“Percebemos, nos textos cancionais analisados, um instrumento de persuasão com temática comum: "opressão x liberdade" e a mobilização de paixões a partir do estado de coisas apresentado. Evidenciamos, desse modo, um orador (ethos), as paixões mobilizadas no auditório (pathos), o discurso ao tratar aquilo que se coloca em questão (logos), e os elementos musicais como parte da cena enunciativo-persuasiva (melos). Dessa forma, destacamos provas de persuasão presentes na canção e suas possibilidades de discursivização, em uma proposta interdisciplinar de abordagem”, destacam os autores sobre o livro.

A publicação dos estudos realizados no doutorado tem a intenção de retratar a “confluência de várias disciplinas na apreensão de um ato retórico, realizado por meio das canções buarquianas do período da ditadura militar. Nestas fica evidente a força argumentativa e persuasiva poderosa que a melodia, com todos os seus componentes, desempenha no quadro sócio histórico e político do País, deixando duradouras ressonâncias”, explica a professora Lineide.

Autores 

Oliveira é professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Ele tem estudos relacionados às teorias da linguagem e do discurso: linguística, semiótica, retórica e argumentação. 

Lineide é docente do Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa do DLCV. Ela foi fundadora e é coordenadora do Grupo de Estudos de Retórica e Argumentação (GERAR).

No lançamento do livro Retórica e canção, além da sessão de autógrafos, também haverá bate-papo com dois professores convidados da USP – Marcos Napolitano, do Departamento de História da FFLCH, e Jean Pierre Chauvin, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) – e uma performance musical do músico Flávio Villar Fernandes.

O evento será realizado no dia 13 de dezembro, às 19h, no deck e piso térreo da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na AV. Paulista, 2073 – Bela Vista, São Paulo.