117 alunos estrangeiros vão estudar na FFLCH neste semestre

Os intercambistas são de universidades de 21 países: Alemanha, Bulgária, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia, Escócia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Inglaterra, Itália, Japão, México, Polônia, Portugal, Reino Unido, Romênia e Suécia
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

 

estudantes estrangeiros e equipe CCInt - Foto Mayara Rodrigues da Luz - CCIntFFLCH
Os estudantes estrangeiros que compareceram à recepção e a equipe técnica da CCInt - Foto Mayara Rodrigues da Luz - CCInt/FFLCH


Na manhã do dia 14 de fevereiro, sexta-feira, no Auditório Nicolau Sevcenko, a Comissão de Cooperação Internacional (CCInt) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP recepcionou os estudantes estrangeiros que vão estudar na Unidade neste semestre. 

São 117 alunos oriundos de universidades de 21 países: Alemanha, Bulgária, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia, Escócia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Inglaterra, Itália, Japão, México, Polônia, Portugal, Reino Unido, Romênia e Suécia. 

Alguns destes alunos, como os chineses, já estão na Faculdade desde o semestre passado e vão completar um ano de intercâmbio. A China e a França são os países com o maior número de alunos, 25 e 23, respectivamente. 

A recepção teve apresentação sobre a Faculdade e esclarecimento de dúvidas burocráticas e acadêmicas –, tour pelos seis prédios da Unidade; e almoço no restaurante universitário (bandejão). 

Novas referências 

As boas-vindas foi feita pelo presidente da CCInt, Vladimir Pinheiro Safatle. Em sua fala, ele fez uma apresentação sobre a FFLCH e a USP, destacando a importância que elas têm no cenário nacional. Safatle lembrou, por exemplo, que a USP é responsável por 25% da pesquisa no Brasil e o País já teve presidente, ministros e prefeitos que são ex-alunos ou professores da FFLCH. Além disso, o presidente da CCInt comentou sobre a internacionalização da Faculdade.

“Para nós é extremamente importante a presença de vocês por aqui. Porque vocês trazem, para dentro da nossa sala de aula, novas referências, novas maneiras de pensar. E é muito importante que nossos alunos tenham acesso a essa diversidade de se fazer pesquisa, por exemplo. Para nós, é importante não só a presença [de vocês], mas a participação no ambiente estudantil”, disse Safatle, que é docente do Departamento de Filosofia, e colocou-se à disposição dos estudantes estrangeiros para o auxílio e orientação de dúvidas adicionais também, além das que são dadas pela equipe técnica.

Pois, durante o período de estudos na FFLCH, todos os alunos estrangeiros podem ser atendidos no dia a dia pela equipe técnica da CCInt, formada por funcionários e estagiários, no prédio da Diretoria e Administração da FFLCH. 

Depois do presidente, a chefe de Serviço da CCInt, Vivian Pamella Viviani de Castro, deu prosseguimento à reunião com mais informações sobre a infraestrutura, questões acadêmicas, como as matrículas nas disciplinas; questões burocráticas relacionadas à Polícia Federal; acesso à rede wi-fi; e até dicas de segurança nos bloquinhos de carnaval.

Após as orientações, todos se apresentaram informando o nome, o país de origem ou da universidade que frequentam e o curso que fazem. No final, alguns alunos da FFLCH, que realizaram intercâmbio recentemente, se dividiram em grupos com os intercambistas e os levaram para visitar os departamentos e prédios da Unidade, além de os acompanharem para comer no restaurante central (bandejão), pago pela Faculdade.

Esse evento é realizado semestralmente pela CCInt da Faculdade como forma de dar as boas-vindas institucionais aos alunos estrangeiros e fazer uma integração deles com os outros alunos, para não ficarem restritos somente aos estudantes da mesma universidade ou país; além de dar mais explicações sobre a USP e a Unidade. 

Exemplo de como a reunião presencial auxilia na integração entre os intercambistas é que um deles anunciou que estava passando um papel para os outros colocarem, se quisessem, o nome e o telefone. Com as informações, ele vai criar um grupo de WhatsApp para facilitar a comunicação e melhorar a integração entre eles.