Confira as publicações do 1º bimestre de docentes e pesquisadores da FFLCH

São obras com acesso livre ao público em geral, disponíveis no Portal de Revistas e no de Livros da USP

leitura
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

Catedral de Mariana
A Catedral de Mariana (e seu patrimônio descrito no livro de inventários)​​​​​​​, na cidade de mesmo nome em Minas Gerais, é destaque no livro Os segredos do léxico litúrgico: glossário do primeiro inventário de bens da catedral de Mariana, de autoria de doutorando da FFLCH e publicada pelo NEHiLP – Fotos: Samuel Consentino/ Prefeitura de Mariana 

​​​​​​​
Em janeiro e fevereiro, meses normalmente de férias, os lançamentos no Portal de Revistas e no de Livros da USP não pararam. São oito publicações com autoria e/ou organização de docentes e alunos de pós-graduação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Entre os temas das publicações estão a antropologia – fotografia, filmes, vídeos e podcast; escritores e poetas irlandeses; trabalho e família; geografia – grilagem de terras e conservação do solo; estudos japoneses – envolvendo artes, cinema, história e imigração, língua, linguística, linguística aplicada, tradução, literatura, economia, direito, política, relações internacionais; história do Português Brasileiro e fontes eclesiásticas. Confira, abaixo, as publicações.

Revistas

A recente edição da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia traz um dossiê sobre musicar local. Pode-se destacar os artigos falando da importância da fotografia na formação do antropólogo, dos filmes e vídeos como formas de conhecimento; e do processo de criação do Mundaréu, um dos primeiros podcasts de Antropologia lançados no país. 

GIS é uma revista acadêmica que engloba os campos da antropologia visual, da música e do som, da performance, do teatro e da arte. A revista é um espaço de experimentação com diversas linguagens, na qual é incentivada formas não convencionais de explorar a imaginação etnográfica. Com organização do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA) do Departamento de Antropologia da FFLCH.

Nas seções Artigos, T.E.R. (Traduções, Entrevistas e Resenhas) e G.I.S. (Gestos, Imagens e Sons) recebe artigos, traduções, entrevistas, resenhas, produções que englobam ensaios e obras literárias (contos, poemas, textos performáticos), bem como toda e qualquer produção que conjuga escrita textual e conteúdos fotográficos, sonoros e/ou audiovisuais. Na seção “Achados na Rede” seleciona trabalhos disponíveis na internet e que dialogam com o foco e escopo da GIS. Há ainda a publicação de dossiês temáticos, com quatro a seis artigos, em média. A partir de 2021, a GIS será uma publicação contínua.
Acesse aqui o v. 6, n. 1 da GIS.


capa ABEI Journal - vol. 22 no. 2.Neste ano, foram lançados dois números da revista ABEI Journal: The Brazilian Journal of Irish Studies, referentes ao ano de 2020. O número 1 tem o título Word Upon World: Half a Century of John Banville's Universes e fala da obra do escritor irlandês, romancista, adaptador de peças e guionista William John Banville, de 75 anos. O número 2 Celebrating Paul Durcan on his 76th Birthday, como o título diz, comemora o aniversário do poeta Paul Durcan e sua obra.

A revista é destinada a acadêmicos, pesquisadores independentes e estudantes de pós-graduação especializados em estudos irlandeses. ABEI Journal: The Brazilian Journal of Irish Studies é ​​​​​​​indexada por por Cambridge Scientific Abstracts, Maryland, USA and Modern Language Association, EBSCO, Directory of Open Acess Journals, Diretório de Políticas Editoriais das revistas científicas brasileiras, Latindex and Google Scholar. É publicada pela Associação Brasileira de Estudos Irlandeses e pela FFLCH-USP. 

Foi criada em 1999, com publicação uma vez ao ano. E, a partir do volume 20, número 1 passou a ser publicada duas vezes por ano. Há edições que abordam um único tema, como um dossiê. E, em outras, os temas são variados com seções de entrevistas, resenhas de livros, relatos de viagem, drama, teatro, ficção sobre temas ligados aos estudos irlandeses. Contém uma seção fixa chamada "Vozes do Brasil", que em algumas edições é apresentada como "Vozes da América do Sul", com o objetivo de compartilhar a cultura brasileira, ou da América do Sul, com leitores estrangeiros.
Acesse o vol. 22 no. 1 aqui e o vol. 22 no. 2 neste outro link.

A última edição de Cadernos CERU traz o dossiê Trabalho e Família, que é abordado em 13 artigos e uma entrevista. Além disso, há resenhas sobre inteligência artificial e a estrutura, a história e os problemas atuais vivenciados pela microrregião Norte do Araguaia.

A publicação surgiu em março de 1968, com periodicidade anual. A partir de 2008, passou a ser semestral. Tendo por objetivos divulgar investigações científicas de pesquisadores nacionais e internacionais na área de Ciências Humanas, as principais áreas de interesse são: sociologia, antropologia, educação e história. A revista é editada pelo próprio Centro de Estudos Rurais e Urbanos, Núcleo de Apoio à Pesquisa da USP, cuja coordenação é ligada ao Departamento de Sociologia da FFLCH. 
Clique aqui para ler o v. 31 n. 2, referente ao mês de dezembro de 2020. 

Livros

A obra A grilagem de terras na formação territorial brasileira é organizada pelo docente Ariovaldo Umbelino de Oliveira, do Departamento de Geografia, e escrita por 10 pesquisadores em oito capítulos.

Vários temas são abordados no livro, como: a questão dos camponeses, quilombolas, indígenas e grileiros em conflitos no campo brasileiro; a constituição da propriedade privada capitalista das terras; a luta pela retomada das terras griladas e o plano de um novo golpe contra a reforma agrária no Pontal do Paranapanema; a grilagem de terras como fundamento da formação territorial brasileira; a grilagem na Amazônia; a grilagem judicial; e o ordenamento territorial das margens de rodovias federais no Amazonas: 50 anos do Decreto-Lei 1.164/71.

De acordo com a apresentação, a realização desta obra serve de alerta para que este assunto seja desvendado ainda mais por esses sertões que formam este Brasil e "demonstra como a grilagem de terras está entranhada na sociedade brasileira e suas consequências para o futuro do país". Confira o livro aqui.

​​​​​​​Outra publicação lançada neste período também é da área de geografia e organizada por uma docente do mesmo Departamento, Déborah de Oliveira, o livro paradidático Clay Joe: a little clump of soil, cujo foco é o solo, suas características e importância. 

O personagem do título, Clay Joe, conta toda a história, que é apresentada de uma forma lúdica, com ilustrações coloridas e ao mesmo tempo mostra e introduz conceitos de cuidado e conservação do solo, por exemplo, de forma simples para tornar a leitura agradável para todos os públicos.

Em ​​​​​​​2018, este conteúdo foi lançado em português com o título original João Torrão: um pedacinho de solo, como parte do Projeto Solo na Escola, que é coordenado pela professora Déborah desde 2014. E agora foi publicado também em inglês – um bolsista traduziu para o inglês o livro e demais publicações nas redes sociais – pois o Projeto também tem contatos com pesquisadores do exterior, além disso, a docente da FFLCH também é diretora da Divisão 4- Solos, ambiente e sociedade da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo.
Conheça Clay Joe e sua história por este link.


capa livro Clay Joe​​​​​​​

​​​​​​​Em Estudos Japoneses em Foco: Singularidades e Trajetórias Contemporâneas, organizado pela professora Neide Hissae Nagae, do Departamento de Letras Orientais da FFLCH, em conjunto com a professora Ayako Akamine da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estão reunidos trabalhos disciplinares, interdisciplinares e multidisciplinares desenvolvidos por pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento.

Os temas são ligados às artes, cinema, história e imigração, língua, linguística, linguística aplicada, tradução, literatura, economia, direito, política, relações internacionais no âmbito dos estudos japoneses. A obra é composta por 31 artigos focados nas singularidades e trajetórias contemporâneas e de seus autores, os quais contribuem com a valorização desta publicação.

Segundo a sinopse, "o livro é um registro raro por sua diversidade e acessibilidade e que, certamente, há de propiciar novas pesquisas e instigar a continuidade das discussões e reflexões propostas pelos autores em seus respectivos textos".
Clique aqui para acessar o livro. 

Os segredos do léxico litúrgico: glossário do primeiro inventário de bens da catedral de Mariana, como indica o título, é um glossário que foi elaborado com o objetivo de recuperar, registrar e popularizar alguns itens lexicais presentes no Livro de Inventários da Catedral de Mariana – fonte documental chancelada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Memória do Mundo – é um importante manuscrito do Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana – Dom Oscar de Oliveira (Mariana, Minas Gerais, Brasil).

​​​​​O intuito deste livro é auxiliar pesquisadores que trabalham com fontes eclesiásticas os quais, em seu labor, deparam-se com nomeações desconhecidas ou duvidosas. O glossário é composto pelos itens lexicais referentes aos bens móveis e de consumo e às vestimentas litúrgicas que faziam parte do patrimônio da Catedral de Mariana na época de elaboração do primeiro inventário registrado no livro citado acima. Fazem parte também do material alguns outros itens referentes à Igreja Católica, ao clero, à arte sacra e à religiosidade em geral. Além disso, será uma obra importante para o conhecimento da história do Português Brasileiro.

A autoria é de Marcus Vinícius Pereira das Dores, doutorando do Programa de Filologia e Língua Portuguesa da FFLCH. Fruto de sua pesquisa efetuada durante o mestrado (realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais), o livro foi submetido ao Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa (NEHiLP) e aprovado, depois seguiu para diagramação e publicação.

A coordenação e vice-coordenação do núcleo são de docentes do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade, respectivamente, Vanessa Martins do Monte e Mário Eduardo Viaro, o qual participou deste livro como organizador, assim como acontece em outras publicações do NEHiLP. ​​​
Acesse o livro aqui.