Michel Butor, crítico de Proust

Início do evento
Final do evento
E-mail contato
fillipe.mauro@gmail.com
Telefone Contato
(11) 7455-3425
Docente responsável
Prof. Dr. Alexandre Bebiano de Almeida
Local
Prédio de Letras, sala 170. Av. Prof. Luciano Gualberto, 403
O evento será gratuito ou pago?
gratuito
É necessário fazer inscrição?
Sem inscrição prévia
Emissão de certificado
Não
Participação de docente(s) estrangeiro(s)?
Não
Descrição

No segundo semestre de 2018, os encontros mensais do Laboratório do Manuscrito Literário propõem uma reflexão a respeito das diferentes interações entre a obra de Marcel Proust e narrativas do Novo Romance francês. Serão discutidas, para além da leitura que as vanguardas francesas fizeram de Proust, as semelhanças e diferenças entre seus projetos estéticos, as ressonâncias entre suas obras e o espaço que lograram ocupar no curso da literatura francesa. Esperamos, assim, oferecer um caminho de mão-dupla na compreensão dessas obras, lançando-nos à seguinte questão: o que, na leitura de Proust, os autores do Novo Romance puderam revelar sobre sua própria visão de literatura?

Em nosso primeiro encontro, dia 14 de setembro, às 14h, receberemos a pesquisadora Amayi Soares Koyano, que tratará da crítica de Michel Butor a Proust. Ao longo de mais de duas décadas, Butor revisitou "À la recherche du temps perdu" em pelo menos três importantes ensaios. Nesses artigos, que fazem parte de seus "Répertoire", aborda desde os chamados momentos proustianos (reminiscências) até as obras de arte imaginárias por ele criadas (Bergotte, Elstir e Vinteuil) e a tentativa de delimitação de seus cinco sentidos a partir do roteiro de um programa televisivo. Nosso objetivo, assim, é verificar como Butor, enquanto crítico e leitor de Proust, evidenciou não só suas contribuições para o Nouveau Roman como para a literatura do século XX.