FFLCH realiza ciclo de jornadas sobre saúde mental, saúde física e educação

O evento tem convidados de várias áreas: da FFLCH, EACH, FE, FM, IAU e IP; e de instituições externas também - Fiocruz, Instituto Butantan, UFSCar e Unifesp -, como Dimas Covas, Ester Sabino, Fernando Haddad, Margareth Dalcolmo e Paulo Saldiva

Por
Eliete Viana
Data de Publicação

saúde mental

Saúde mental, saúde física e educação são temas muito importantes na vida das pessoas e na sociedade em geral. E, em tempos de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), estes temas se tornaram mais relevantes ainda. Durante mais de 1 ano e 5 meses de pandemia, as pessoas estão tendo de lidar com muitas questões: doença, distanciamento social, falta de lazer, notícias negativas, disputas políticas no cenário nacional, falta de vacinas, incertezas sobre o futuro; além de aulas e o trabalho sendo realizados de forma remota.
 
Para debater todas estas questões, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP realiza no mês de setembro, nos dias 1º, 14 e 29, o Ciclo de Jornadas Saúde Mental, Saúde Física e Educação em Tempos de Pandemia, com transmissão ao vivo pelo canal da FFLCH no YouTube. 

Em cada um dos três dias do ciclo de jornadas haverá três mesas - pela manhã, tarde e noite -, com apresentações e conversas sobre a relação da pandemia com a saúde mental, a saúde física e a educação dentro da universidade e na sociedade em geral. Confira a programação completa abaixo.

O evento reúne nomes como Dimas Tadeu Covas, Ester Cerdeira Sabino, Fernando Haddad, Margareth Maria Pretti Dalcolmo e Paulo Hilario Nascimento Saldiva, por exemplo. Os convidados são professores e pesquisadores de diversas áreas para debater o assunto sob uma perspectiva multidisciplinar: da FFLCH, de outras Unidades da USP - Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), Faculdade de Educação (FE), Faculdade de Medicina (FM), Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) e Instituto de Psicologia (IP) - e de instituições externas também - Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Butantan, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
 
Saúde Mental e Pandemia

O tema geral que inicia o evento, no dia 1º de setembro, é saúde mental e pandemia. Pela manhã, na mesa 1, das 10h30 às 12h30, serão abordadas as relações étnico-raciais e a inclusão na universidade.

À tarde, das 14h às 16h, a conversa será sobre saúde mental em tempos de pandemia, com convidados da área de psicologia, educação e psiquiatria, os quais vão abordar os aspectos epidemiológicos e o estudante universitário durante a pandemia, além de tratar do suicídio: como compreender e lidar com a situação. E, no período da noite, das 19h às 21h, a mesa 3 vai abordar a questão do acolhimento e da escuta, com participantes da área de psicologia.
 

fabricação de vacinas
A vacina e a sua importância também terá destaque no ciclo de jornadas. O tema será debatido no dia 14 de setembro, na mesa 2, com a participação de pesquisadores que estão na linha de frente desta questão - Foto: Freepik


Saúde Física e Pandemia

No dia 14, o tema é saúde física e pandemia, com a participação de convidados da área médica e farmacologia. A mesa 1, vai ter a participação de duas professoras da Faculdade de Medicina (FM) da USP. Ester Cerdeira Sabino, que liderou o sequenciamento do genoma do coronavírus, tratando dos esforços de vigilância e vigilância genômica; e Anna Sara Shafferman Levin, que falará dos tratamentos da Covid-19 e os aprendizados.

Com o tema específico vacinas e o contexto do novo normal, a mesa 2, vai contar com a presença de pesquisadores que estão à frente das discussões sobre vacina em âmbito nacional: Dimas Tadeu Covas (da FMRP-USP e do Instituto Butantan), Esper Georges Kallás (FM-USP), Soraya Soubhi Smaili (Unifesp) e Margareth Maria Pretti Dalcolmo (Fiocruz). Na última mesa do dia, será abordado o lugar da saúde, com outros dois professores da FM: Paulo Hilario Nascimento Saldiva e Paulo Rossi Menezes. 

Educação e Pandemia

Em um evento realizado por uma faculdade de uma universidade pública, o assunto educação não poderia ficar de fora. No dia 29, a mesa 1, dirigentes de Unidades de Ensino e Pesquisa da USP vão falar sobre a USP na pandemia: Ana Maria Loffredo, do a diretora do IP, Marcos Garcia Neira, da FE; e Miguel Antônio Buzzar, do IAU.

​​​​​​​Dando continuidade ao tema, a mesa 2 reúne presidentes e membros de Comissões de Graduação de Unidades da USP para abordar a graduação e a pandemia: Rosângela Gavioli Prieto, da FE, Verónica Marcela Guridi, da EACH; e Paula Debert, do IP.

Encerrando o dia e programação do ciclo de jornadas, a mesa 3 tratará das políticas públicas para educação na pandemia, com três docentes da FFLCH, da área de Sociologia, Filosofia e Ciência Política: Ana Paula Hey, Vladimir Pinheiro Safatle e Fernando Haddad.

​​​​​​​A organização do evento é da FFLCH, com apoio da FE, FM, IP e IAU. A participação é gratuita e aberta ao público em geral, sem necessidade de inscrição prévia. E haverá emissão de certificado para as pessoas que registrarem presença no dia.

FFLCH PELA VIDA

A realização do Ciclo de Jornadas Saúde Mental, Saúde Física e Educação em Tempos de Pandemia ocorre no mês de setembro, no qual são feitas as campanhas de conscientização sobre a prevenção do suicídio chamada Setembro Amarelo. Mas, a ideia da Faculdade é que em todo o ano sejam promovidas ações sobre a questão.

O Ciclo faz parte do FFLCH PELA VIDA, que é um conjunto de ações relativas à saúde mental voltadas ao acolhimento da comunidade de estudantes, docentes e servidores técnico-administrativos da FFLCH. A necessidade de implantação destas ações surgiu após casos de suicídio ocorridos no primeiro semestre de 2021 envolvendo estudantes da Faculdade, dentro de um contexto de mais de um ano do início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

​​​​​​​Outras ações do FFLCH PELA VIDA são:
a) cartilha de informações básicas sobre saúde mental;
b) pesquisa para levantamento da situação de sofrimento de saúde mental na FFLCH;
c) criação de canal de comunicação direta (telefone, WhatsApp, e-mail e site);
d) elaboração de um programa de tutoria dos docentes da FFLCH aos estudantes, com a intenção de aconselhá-los e ajudá-los em situações-limite na vida acadêmica
e na perspectiva pessoal;
e) a partir dos dados fornecidos pela Superintendência de Assistência Social (SAS), planejar visitas ao Conjunto Residencial da USP (CRUSP) para que a direção acompanhe a situação de qualidade de vida dos seus estudantes que residem no local, levantando demandas e as encaminhando aos órgãos competentes;
f) ampliação de ações de inclusão acadêmica a partir do Programa de Acolhimento aos Estudantes Cotistas (PAECO) e de Práticas de Leitura e Escrita Acadêmicas (PLEA).

folder 1folder 2folder 3​​​​​​​​​

​​​​​​​