Seminário internacional discute democracia e os novos autoritarismos no Sul global

Durante evento, especialistas nos países que formam a sigla BRICS vão abordar o tema e, também, haverá o lançamento de dois livros do professor da Universidade de Coimbra Boaventura de Sousa Santos
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

 

Podem democracias morrer democraticamente? – Novos autoritarismos no Sul global é o questionamento e o título do seminário internacional promovido pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP na próxima semana, nos dias 10,11 e 12 de junho.

No evento, especialistas nos países que formam a sigla BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – vão discutir o autoritarismo e a democracia nestes lugares, e também nas Filipinas, os quais por muitos anos foram considerados a principal esperança de superação da crise da globalização iniciada em 2008.

Mas, hoje em dia, nestes mesmos países percebe-se o avanço de velhos nacionalismos e novos autoritarismos cujas características têm levado muitos analistas a anunciarem a morte da democracia liberal.

“O mais curioso é que as ameaças à ordem democrática e liberal surgem de eleições de lideranças autoritárias. [Por isso a pergunta do título] Podem democracias morrer democraticamente?”, comenta um dos organizadores do evento e chefe do Departamento de Sociologia da FFLCH, Ruy Braga. 

BRICS mais Filipinas 

O contexto na África do Sul, China e Rússia será debatido no primeiro dia do evento, 10 de junho; e a conjuntura no Brasil, Índia e Filipinas será abordada no segundo, 11. O encerramento do seminário será feito pelo professor da Universidade de Coimbra Boaventura de Sousa Santos, que tem trabalhos publicados sobre globalização, sociologia do direito, epistemologia, democracia e direitos humanos.

O docente português vai fazer um balanço dos assuntos abordados nos dois dias anteriores, respondendo à pergunta do título do evento e comentando como interpretar a emergência desses novos autoritarismos à luz de uma comparação internacional focada no Sul global. 

Também no dia 12, haverá o lançamento de dois livros do docente editados Editora Autêntica: O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul e O pluriverso dos direitos humanos: a diversidade das lutas pela dignidade.     

O seminário internacional é gratuito e aberto ao público em geral, sem necessidade de inscrição.

Nos dias 10 e 11 de junho, segunda e terça-feira, o local de realização do seminário será, respectivamente, às 17h30 e às 18h, nas salas 14 e 8, no Edifício de Filosofia e Ciências Sociais, localizado na Av. Luciano Gualberto, 315 – Cidade Universitária, São Paulo.  

Enquanto que no último dia, 12 de junho, o evento acontecerá no Auditório Nicolau Sevcenko no Edifício Eurípedes Simões de Paula (Geografia e História), situado à Av. Prof. Lineu Prestes, 338 – Cidade Universitária, São Paulo.

Confira, abaixo, todos os participantes do evento:

programação