FFLCH formaliza seu primeiro convênio com uma universidade angolana

A assinatura do acordo dá continuidade às conversas iniciadas durante visita dos dirigentes da Universidade Lueji A’Nkonde à Faculdade, no mês de março
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

 

dirigentes ULAN e aluno Geografia
Cerimônia de assinatura do convênio (Da esq. p/ dir.) O decano da ESP, Jorge Dias Veloso; o vice-reitor da ULAN, Alfredo Armando Manuel; o reitor da ULAN, Carlos Pedro Cláver Yoba; o aluno de Geografia Celso Oliveira Jr.; e o outro vice-reitor da ULAN presente na cerimônia, Gilberto Caimbo Nhongola – Foto: Milka Kaombe Morais Bandula / ULAN


A Universidade Lueji A’Nkonde (ULAN), Angola, assinou convênio de cooperação acadêmica internacional com a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. A formalização aconteceu em uma cerimônia na sua Escola Superior Pedagógica (ESP), localizada na cidade do Dundo, sede da universidade e capital da província de Lunda Norte, no dia 5 de junho.

Esta assinatura formaliza o primeiro convênio da Unidade com uma instituição de ensino superior angolana. Este convênio tem como objetivo a cooperação acadêmica nas áreas de História, Geografia e Letras, para promover o intercâmbio de docentes/pesquisadores, estudantes de pós-graduação, estudantes de graduação (com reconhecimento mútuo de estudos de graduação) e membros da equipe técnico-administrativa das respectivas instituições.

Estiveram presentes o reitor da ULAN, Carlos Pedro Cláver Yoba; o vice-reitor para a Área Científica e Pós-Graduação; Alfredo Armando Manuel; o vice-reitor para Área Acadêmica, Gilberto Caimbo Nhongola; os decanos da ESP e da Escola Politécnica, respectivamente, Jorge Dias Veloso e Fidel Manassa, que ocupam o cargo equivalente ao de diretor de Unidade na USP; além de funcionários.

A FFLCH foi representada pelo estudante de Geografia Celso Oliveira Jr., que levou a minuta do convênio com a assinatura da diretora da FFLCH, Maria Arminda do Nascimento Arruda. A formalização ocorrida em Angola dá continuidade às conversas iniciadas durante visita dos representantes da ULAN à Faculdade, no mês de março deste ano.

Em março, Oliveira Jr. participou da organização das atividades de recepção dos dirigentes angolanos na FFLCH e, na época, se prontificou a ser portador da documentação da Faculdade para Angola, visto que já estava agendada sua participação em seminário de educação naquele país.

Diferencial

Durante a cerimônia, o reitor da ULAN falou da importância da concretização desta parceria com a maior unidade da USP e lembrou da boa recepção que teve na FFLCH durante sua visita.

“O acordo ora alcançado vai facilitar e incrementar a troca entre investigadores, pensadores e estudantes das nossas instituições. Quero, em nome da Universidade Lueji A’Nkonde, manifestar o desejo de continuidade e que todos nós nos empenhemos para o êxito e o alcance de um fim comum, que é a cooperação, o desenvolvimento sustentável e a cientificidade”, destacou o reitor.

A presença do aluno de Geografia na universidade angolana também foi comentada pelo reitor. “A presença do Celso entre nós foi um motivo de satisfação e de confirmação daquilo que nós temos estado a promover ao longo dos tempos, desde que iniciamos os contatos com a Universidade de São Paulo, mormente com a Faculdade de Educação”, frisou.

Na ocasião, o aluno da FFLCH também ressaltou a importância da formalização entre as duas universidades, observando especial atenção ao apoio dado pela reitoria da ULAN às iniciativas que já estão ocorrendo, de certa forma, como a relação com a editora da universidade angolana, a possibilidade de troca de tecnologias. E chamou atenção sobre a relevância da participação estudantil e dos coletivos negros universitários brasileiros no processo democrático de se pensar os rumos da educação e universidades no Brasil.

“O convênio firmado poderá contribuir muito com a aproximação das produções acadêmicas dos dois países. Para além da formalização em si, há também o envolvimento direto de um estudante de graduação negro. O que pode ser sugestivo enquanto participação estudantil no processo de pensar a internacionalização da universidade, para além da mobilidade em si”, comentou o estudante Oliveira Jr.

apresentação na Escola Politécnica da ULAN
Comunidade da Escola Politécnica durante apresentação realizada no dia 27 de maio - Foto: Joia Francisco António / ULAN


Outras atividades

Antes da assinatura do convênio, o aluno de Geografia Celso Oliveira Jr. participou de atividades em outra universidade de Angola e em outro campi da ULAN.

De 13 a 17 de maio, Oliveira Jr. assistiu palestras e ministrou três oficinas no IV Seminário de Formação de Professores Angola/Brasil, da Universidade Katyavala Bwila, na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul. Sua participação se deve aos estudos vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação em Angola (GEPEULAN).

Na sequência, ele iniciou suas atividades na ULAN. De 20 a 31 de maio, ele assistiu e também foi assistente do professor da Faculdade de Educação (FE) Rosenilton Silva de Oliveira, durante as aulas dadas na disciplina Cultura e educação afro-ameríndia, no mestrado em Educação na ESP, na cidade do Dundo. Na visita de março, a ULAN fez um aditamento de contrato no convênio existente com a FE desde 2010, para incluir o Programa de mestrado, no qual alguns docentes da Faculdade de Educação irão para Angola ministrar aulas e orientar os futuros mestres. 

Na semana do Dia de África, comemorado em 25 de maio, foram realizadas duas apresentações em Escolas da ULAN sobre a USP (com especial atenção à FFLCH e à FE) para os seus docentes, funcionários e alunos. 

A primeira aconteceu no dia 27 de maio, na Escola Politécnica, na cidade de Saurimo, na província de Lunda Sul – evento relacionado ao convênio que viria a ser assinado no dia 5 de junho – , onde estão os cursos de Engenharia, mas também os de Geografia e História, que interagem com as áreas de Antropologia, Sociologia, Linguística, por exemplo. 

No dia 5 de junho, foi realizada a segunda apresentação, desta vez na Escola Superior Pedagógica, responsável pela área de Licenciaturas, e no mesmo campus da Reitoria da ULAN, na cidade do Dundo, província de Lunda Norte. 

Antes da cerimônia do convênio, Oliveira Jr. utilizou sua estadia em Angola para pesquisar dados que faltavam para o seu Trabalho de Graduação Individual (TGI), intitulado Estudo comparativo sobre a racialização de espaços urbanos em África (Angola e África do Sul), orientado pela professora Simone Scifoni, e que vai defender no final deste semestre.

doações para ULAN
O estudante Celso Oliveira Jr. entrega ao decano da Escola Politécnica, Fidel Manassa, doações para a biblioteca (alguns livros da Editora da USP, da ComArte e de docentes da FFLCH, como Tania Macêdo). Na imagem, também está presente o vice-reitor da ULAN, Alfredo Armando Manuel - Foto: Joia Francisco António / ULAN


Olhar para África

A assinatura deste primeiro convênio com uma universidade angolana faz parte dos esforços que a FFLCH vem realizando no sentido de incentivar a aproximação com instituições africanas. Atualmente, a Faculdade mantém convênios com cinco instituições de ensino superior de dois países africanos: duas da África do Sul e três de Cabo Verde.

A ULAN é uma universidade pública angolana, localizada na região nordeste do país, e tem três campi universitários nas seguintes províncias (Estados): Lunda Norte (cidade do Dundo, onde está a sua sede), Lunda Sul (cidade de Saurimo) e Malanje. A instituição tem 10 anos, cerca de 9.500 estudantes, distribuídos em seis faculdades e escolas.  

O nome da universidade é uma homenagem à Rainha Lueji N’Ankonde, do reino de Lunda Tchokwe, que descende do grande Império de Lunda (1050-1887). A rainha Lueji também foi muito conhecida por sua governança e coragem nos processos de resistência frente aos colonizadores.