Faculdade e Consulado Geral da Grécia em São Paulo conversam sobre futuros convênios

A visita, realizada em 11 de março, teve o objetivo de fomentar e ampliar a difusão da aprendizagem da língua e da literatura grega moderna nas faculdades públicas
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

 

Matéria editada em 23/03/2020, às 16h10 *
 

cônsul-geral com CCInt
(da esq. p/ dir) Vivian Pamella Viviani de Castro, Stelios Hourmouziadis; Mary Macedo de Camargo Neves Lafer; Paula da Cunha Corrêa; e Vladimir Pinheiro Safatle - Foto: Rosângela Vicente - FFLCH


Na manhã de quarta-feira, dia 11 de março, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP recebeu a visita do cônsul-geral da Grécia em São Paulo, Stelios Hourmouziadis.

O representante grego foi recepcionado na sala da Diretoria pela assistente acadêmica Rosangela Duarte Vicente, pelo presidente da Comissão de Cooperação Internacional (CCInt), Vladimir Pinheiro Safatle; pela chefe de Serviço da CCInt, Vivian Pamella Viviani de Castro; e pelas professoras Mary Macedo de Camargo Neves Lafer e Paula da Cunha Corrêa, ambas do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (DLCV).

Durante a vista, Hourmouziadis demonstrou interesse em colocar em práticas ideias para fomentar e ampliar a difusão da aprendizagem da língua e da literatura grega moderna nas faculdades públicas. 

Na graduação da FFLCH, uma das 16 habilitações oferecidas pelo curso de Letras é o grego – o antigo, não o moderno. E quem aprende o antigo não vai entender totalmente o moderno, apesar de ser mais fácil para quem sabe o primeiro compreender o segundo. Porque a língua teve muita evolução ao longo do tempo, como nos significados das palavras, a pronúncia e alguns casos de ortografia.

Mas, na área de Cultura e Extensão da Faculdade, há a oferta do curso de idioma Grego Moderno, geralmente do nível 1 ao 3, como forma de divulgar a língua grega e a cultura da Grécia. 

O cônsul-geral manifestou interesse em publicar pela Editora da USP (Edusp) ou outras editoras traduções de textos literários do grego moderno para o português e isso, talvez, motivasse os estudantes de grego da FFLCH a serem futuros tradutores, visto que a literatura grega tem destaque. Dois poetas gregos já foram vencedores do Prêmio Nobel de Literatura: Giorgos Seferis, em 1963, e Odysseas Elytis, em 1979. 

A chefe de Serviço da CCInt comentou que uma das formas para agilizar a difusão da língua grega moderna é através da realização de intercâmbio pelos estudantes brasileiros em universidades da Grécia, o que atualmente não é possível porque a FFLCH não tem nenhum convênio vigente com instituições daquele País. O último acordo de cooperação acadêmica expirou em outubro de 2015 e era com a University of Crete

Por isso, os representantes da FFLCH presentes perguntaram se há a possibilidade do cônsul-geral fazer a mediação entre a Faculdade e as instituições gregas para o estabelecimento de futuros convênios. O cônsul-geral disse estar disposto a colaborar nesta questão e citou a Universidade de Atenas como uma das possibilidades. 

A Assistência Acadêmica e a CCInt da Faculdade ficaram de enviar ao cônsul-geral os protocolos necessários para a cooperação acadêmica na USP, para que em futuras conversas possa se dar continuidade à ideia de firmar convênios. 

 

cônsul-geral e assistência acadêmica
O cônsul-geral da Grécia em São Paulo com as professoras do DLCV Paula e Mary (nas pontas) e Rosângela Duarte Vicente - Foto: Vivian de Castro - FFLCH 


Projetos de cultura e extensão  

Além da realização do curso de idioma Grego Moderno, o representante grego soube de outras iniciativas na área. A professora Paula contou sobre um projeto de cultura e extensão que é feito externamente à FFLCH, na vizinhança da Cidade Universitária, do qual ela é a coordenadora responsável. 

O Projeto Minimus: Grego e Latim no Ensino Fundamental, no qual discentes da FFLCH ministram língua grega e latina na grade curricular do 4º e do 7º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Desembargador Amorim Lima para mais de 200 alunos, em andamento desde 2013. 

Em 2018, como ampliação deste projeto, foi iniciado o Projeto Minimus Interdisciplinar, com aulas de filosofia e arqueologia antiga para alunos do 8º ano da mesma escola, com a participação de dois alunos de Pós-Graduação, sob a coordenação do professor Roberto Bolzani Filho, do Departamento de Filosofia da FFLCH, e da professora Maria Christina Kormichiari, do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP.

Hourmouziadis mostrou-se entusiasmado com os projetos e quer assistir às aulas. Para isso, foi combinado que a professora Paula falaria com a direção da escola pública a respeito. Porém, com a suspensão das atividades na USP e em outros lugares, e a recomendação de isolamento por causa do novo coronavírus (Covid-19), esta visita à escola só será possível após a retomada das atividades. 

*para explicar melhor a questão do interesse na tradução de obras do grego moderno para o português:
Ao contrário do informado anteriormente, o cônsul-geral não recebeu solicitações de editoras brasileiras para traduzir livros do grego moderno para o português