Turismo em tempos de coronavírus é tema de pesquisa de disciplina de Geografia

O objetivo principal da investigação é fomentar reflexões sobre o setor durante a pandemia e a partir de uma perspectiva geográfica
Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

 

brasileiros que foram repatriados pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil
Voo humanitário de repatriação: Manila - São Paulo, 11/4/2020 – Foto: site Ministério da Relações Exteriores do Brasil


O turismo é um dos setores mais afetados com a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), visto que com o risco de contaminação as viagens em geral estão sendo canceladas e a recomendação é de isolamento social e confinamento.
 
Para analisar questões envolvendo a área de turismo, uma ampla investigação está sendo feita pela professora Rita de Cassia Ariza da Cruz e os seus alunos de graduação da disciplina Geografia do Turismo, ministrada neste semestre na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

O objetivo principal da pesquisa é fomentar reflexões sobre o turismo em tempos de pandemia e a partir de uma perspectiva geográfica. A pesquisa estuda três grandes eixos temáticos: 
1)turistas brasileiros retidos no exterior, 
2)cruzeiros marítimos retidos pelo mundo e no Brasil e;
3)posicionamento de organismos oficiais internacionais e brasileiros frente à crise trazida pelo novo coronavírus (Covid-19) – principalmente pela Organização Mundial do Turismo (OMT), e dois Ministérios do Brasil: das Relações Exteriores e do Turismo (neste último incluindo a autarquia Embratur).

A partir dessa pesquisa, a equipe vai escrever um editorial relativo a cada tema – a previsão é que o primeiro seja escrito dentro de um mês, aproximadamente – e, além disso, vai produzir um vídeo com depoimentos de brasileiros diretamente envolvidos com a crise no turismo internacional, que já voltaram ao Brasil e outros que ainda se encontram no exterior, o qual será divulgado no Youtube. 

A disciplina Geografia do Turismo tem 171 alunos matriculados, sendo 97 no período noturno e 74 alunos no diurno. Cerca de 50% destes alunos estão participando das reuniões virtuais realizadas nas duas últimas semanas e a expectativa é que no mínimo 30% do total de alunos colaborem diretamente com a produção dos materiais escritos e audiovisual nessa primeira etapa. 

Reflexão acadêmica 

“Embora a imprensa nacional e internacional venha abundantemente divulgando informações e relatos em torno dessas questões, há muita informação dispersa e pouca reflexão acadêmica e teoricamente fundamentada, o que nós, por óbvio, pretendemos fazer”, explica Rita.

O acesso a brasileiros retidos no exterior tem sido feito com o intermédio de redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter, além de contatos pessoais, por indicação de amigos, conhecidos ou parentes. 

Mas, a investigação ainda está aberta a receber depoimentos de algum brasileiro que está retido no exterior ou que já esteve nesta situação. Quem se enquadar no público-alvo e quiser participar pode entrar em contato com a professora Rita, responsável pela disciplina Geografia do Turismo e coordenadora da pesquisa, por e-mail: ritacruz@usp.br

A ideia é que em uma segunda etapa o foco seja local. “Pretendemos dar sequência a essa pesquisa, em um momento seguinte, com foco na escala local e, portanto, realizando estudos de caso em localidades com forte dependência do turismo e, com isso, envolver mais alunos”, comenta a docente da FFLCH, que realiza pesquisas em turismo e a produção do espaço, com destaque para as políticas públicas de turismo, turismo e patrimônio, agências de viagens, cruzeiros.