Professor de Filosofia Renato Janine Ribeiro é eleito presidente da SBPC

A votação foi realizada no dia 21 e teve o maior índice de participação dos últimos 10 anos. O ex-ministro da Educação vai assumir o mandato de dois anos no dia 23 de julho

Por
Eliete Viana
Data de Publicação

 

professor Renato Janine
Ele é professor titular de Ética e Filosofia Política da FFLCH - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

​​​​​​​O professor Renato Janine Ribeiro, do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP foi eleito presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em resultado divulgado pela entidade nesta terça-feira, dia 22.

Em votação realizada no dia anterior, 21, o professor da FFLCH obteve 1.205 dos 1.914 votos contra 617 de Carlos Alexandre Netto, neurocientista e ex-reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ribeiro vai suceder o físico Ildeu de Castro Moreira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A eleição, que vai renovar a Diretoria, Conselho e Secretarias Regionais da SBPC, teve ​​​​​​​60% de participação dos sócios, sendo o maior índice dos últimos 10 anos.

Ao ser questionado sobre quais são os principais desafios e objetivos de sua gestão à frente da presidência da SBPC, Ribeiro disse enxergar dois grandes pontos. 

“O primeiro é a defesa que a gente precisa ter da ciência, tecnologia, educação, cultura, saúde, meio ambiente e inclusão social. E a SBPC é uma das entidades que têm este papel importante de defesa disso tudo hoje ameaçado. Outro objetivo, que está estritamente ligado a esse, é construir o futuro. Porque o futuro do Brasil e da nossa própria economia não pode ser separado da inteligência. Cada vez mais a economia no mundo hoje depende do quanto de inteligência é investida na produção. Então, nós precisamos ter uma economia mais rica, mais desenvolvida, com mais ciência embutida nela”, destaca.​​​​​

Por ser professor de Filosofia, não teve como não perguntar a respeito da desvalorização dos cursos de Filosofia e de Sociologia, os quais foram indicados pelo atual governo federal para se diminuir os investimentos em detrimentos de outros que geram retornos de fato, como enfermagem, veterinária, engenharia, medicina. 

"É muito importante entender que toda ciência, todo conhecimento rigoroso gera retornos. Por exemplo, a Filosofia inclui a ética, que é extremamente importante se nós queremos ter uma sociedade melhor. Nós temos hoje uma demanda muito grande de discussão ética no Brasil. A ética faz parte da Filosofia assim como a lógica. A falta de raciocínio lógico é responsável por toda uma perda, inclusive de produtividade no Brasil. É um engano pensar que a Filosofia ou a Sociologia não dão retorno de fato. Sem essa [segunda] ciência como será possível dirigir uma sociedade, inclusive fazer funcionar a economia se você não sabe do que ela precisa e as prioridades?", questiona o professor e acrescenta “Mesmo os conhecimentos que parecem não ser produtivos, eles acabam a longo prazo contribuindo para um conhecimento melhor do mundo”.

Em nota, o Departamento de Filosofia compartilha da mesma ideia sobre a área de Humanidades e ressalta a relevância de ter um dos seus docentes como presidente da SBPC.

"O Departamento de Filosofia vê como um excelente augúrio a eleição do Prof. Dr. Renato Janine Ribeiro para a presidência da SBPC. É significativo no momento atual que um professor de Humanidades ocupe esse posto, já que essa área tem sofrido constantes ataques nos últimos anos, particularmente desde a última eleição presidencial, com grandes cortes nas verbas destinadas à pesquisa e às universidades. Como já exerceu no passado funções públicas importantes, o Prof. Janine reúne todos predicados necessários para exercer com excelência a presidência da SBPC. Ele foi presidente de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e também ministro da educação, conhecendo, portanto, muito bem não só a máquina administrativa e o funcionamento das instituições, como também está ciente das necessidades e dos desafios da educação e da pesquisa no Brasil. Há expectativa que com a eleição do Prof. Janine para a SBPC surja uma voz potente para fazer contraponto a toda a política educacional e de pesquisa do atual governo, de modo que a área de Humanas possa recuperar o que foi tirado dela", ressalta a nota redigida por Alberto Ribeiro Gonçalves de Barros, professor do Departamento.

Sobre a eleição, o diretor da FFLCH, Paulo Martins, demonstrou alegria e disse que não só a Faculdade, mas toda a comunidade científica estará muito bem representada. "Tenho certeza que o nosso professor não medirá esforços para colocar em pauta e lutar por questões importantes para a ciência brasileira e valorizar todas as áreas do conhecimento. É muito bom saber que teremos como representante uma pessoa comprometida com os princípios da ciência e da universidade pública também".   
​​​​​​​​​​​​​
Em tempos de negacionismo histórico e fake news sobre a ciência, o presidente eleito da SBPC acredita que é importante ter a educação científica e a divulgação científica por um lado, feita por várias revistas que temos no Brasil. Segundo ele, de modo geral, é preciso aumentar o conhecimento que a população tem da ciência, pois é ruim que as pessoas utilizem os resultados da ciência sem saberem o que levou a isso e citou um exemplo. 

“O GPS [sigla em inglês que significa Sistema de Posicionamento Global] que permite ver a localização, os trajetos é algo que só é possível porque existem satélites girando em torno da Terra, que portanto é redonda. Então, o fato de haver brasileiros que acreditam que a Terra seja plana e que utilizam o GPS é um paradoxo. Nós temos de mostrar melhor às pessoas o quanto o conhecimento científico é útil e fascinante”​​​​​​​, finaliza Ribeiro.

ciência
"É muito importante entender que toda ciência, todo conhecimento rigoroso gera retornos, frisa o professor Renato Janine Ribeiro

​​​​​​​
73 anos de ciência 
​​​​​​​

O professor e agora presidente eleito da SBPC fez questão de destacar que o trabalho não será feito essencialmente por ele na SBPC. Pois, a Diretoria tem nove membros, um Conselho com dezenas de membros assim como as Secretarias Regionais, com cerca de 60 pessoas eleitas para dirigir a entidade coletivamente. 

Para os cargos de vice-presidentes foram eleitos a socióloga Fernanda Sobral, da Universidade de Brasília (UnB) e o professor do Instituto de Física da USP Paulo Artaxo, com 1.116 e 683 votos, respectivamente. Além disso, sete mulheres vão compor a diretoria, um número também inédito na história da SBPC, segundo a entidade. Os eleitos serão empossados no dia 23 de julho, na Assembleia Geral Ordinária dos Sócios, que será realizada durante a 73ª Reunião Anual da SBPC. 

A SBPC, fundada em 1948, é uma entidade civil, sem fins lucrativos ou posição político-partidária, voltada para a defesa do avanço científico e tecnológico, e do desenvolvimento educacional e cultural do Brasil.

Experiência

A eleição para presidente não é a primeira participação do professor do Departamento de Filosofia na Diretoria da entidade. Atualmente, ele é conselheiro nacional da SBPC, para o quadriênio 2019-23. E, antes disso, foi um dos três secretários, de 1997-1999.

Ribeiro tem graduação em Filosofia pela USP, mestrado em Filosofia pela Université de Paris-I (Panthéon-Sorbonne) e doutorado em Filosofia pela USP. Desde 1994, é professor titular de Ética e Filosofia Política. Tem 100 capítulos de livros (isto é, artigos publicados em livros). Publicou 14 livros como autor único, 3 em parceria e ainda organizou 4 livros coletivos. Publicou 82 artigos em periódicos especializados, 14 trabalhos em anais de eventos e 20 prefácios e/ou posfácios.

O docente foi ministro da Educação, entre abril e outubro de 2015, no governo Dilma Rousseff. E, ao longo de sua carreira acadêmica, participou como membro de diversos órgãos e entidades voltadas à ciência e à pesquisa. Foi membro do Conselho Deliberativo do CNPq (1993-7), do Conselho da SBPC (1997-9), secretário da SBPC (1999-2001). E atuou como diretor de Avaliação da Capes (2004-8).

Na USP, pertenceu à Comissão de Atividades Acadêmicas, presidiu o Conselho de Ética, foi representante dos professores titulares da USP no Conselho Universitário e membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Estudos Avançados. Presidiu a Comissão de Ética do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB). Atualmente, é membro do Conselho Consultivo de Inhotim e membro do Conselho Superior de Estudos Avançados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Recebeu o prêmio Jabuti de melhor ensaio (2001), a Ordem Nacional do Mérito Científico (1997), a Ordem de Rio Branco (2009), a Ordem do Mérito Naval (2015) e a Grande Medalha da Inconfidência (2018).

FFLCH nas diretorias anteriores da SBPC​​​​​​
​​​​​​ 

Aziz Ab'Saber
Foto: Acervo de Aziz Ab'Saber
Eunice Durham
Foto: Léo Ramos/Revista Pesquisa Fapesp


Além da participação de Ribeiro na SBPC, há outros docentes da FFLCH que fizeram parte da Diretoria em mandatos anteriores nos seus 73 anos de fundação da entidade. Aziz Ab’Saber (1924-2012), do do Departamento de Geografia, participou da gestão em três momentos: como vice-presidentes (1983-1985), secretário (1987-1989) e presidente (1993-1995); enquanto a professora Eunice Ribeiro Durham, do Departamento de Antropologia, foi vice-presidente (1989-1991). ​​​​​​​